Lição 26 – A Mensagem de Deus para nossos dias.

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

clip_image001Ramon Umashankar nasceu em Brahmin, na Índia. Os anciãos de sua aldeia lhe ensinaram desde pequeno que ele era um deus e que a fim de mostrar sua divindade deveria praticar ioga e meditação. Quando se tornou adolescente, Ramon começou a duvidar do fato de ser realmente possível encontrar a Deus através dos vários ídolos que eles adoravam nos templos hindus.

Ramon começou a examinar a Bíblia e as afirmações de Cristo. Ele sempre tinha respeitado Jesus por Sua humildade, mas agora Ramon aprendeu que esse Jesus também afirmava ser o único Filho de Deus. Ele percebeu que muitos cristãos aparentavam uma paz que ele não fora capaz de alcançar com anos de meditação. Ainda assim, Ramon estava determinado a encontrar a verdade dentro da sua própria religião, o hinduísmo.

Certo dia, ele assistiu a um filme sobre a vida de Cristo. Pela primeira vez percebeu que Jesus tinha experimentado sofrimento e medo quando humano. Antes disso, ele achava que Jesus tivesse usado de alguma maneira Seus poderes sobrenaturais para escapar à dor da crucifixão. Agora, ele não podia explicar a cruz. Ele se perguntou: Como foi possível que Jesus passasse por tamanha provação em prol de homens pecadores?

À medida que Ramon continuava a meditar sobre a morte de Cristo, ele ficou incrivelmente maravilhado por tal demonstração de amor. Então, ele decidiu desistir de seu tão cobiçado status na sociedade e entregar sua vida para Jesus, o Salvador. Em comparação com o sacrifício de amor de Cristo, disse Ramon, “tudo o mais perde seu valor”.

Esse jovem descobriu a verdade central do cristianismo: Jesus, o Salvador do mundo.

1. QUAL É A RELIGIÃO QUE SALVA?

Jesus é o único caminho para a salvação.

“Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”. Atos 4:12 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

A Bíblia claramente afirma que estamos perdidos no pecado. Assim, estamos sujeitos à pena do pecado: a morte (Romanos 6:23). Todos pecaram (Romanos 3:23), por isso, todos estão sujeitos à morte. Jesus é o Único – não há nenhum outro – que pode nos resgatar da condenação do pecado.

“Todo aquele que olhar para o Filho e nEle crer tenha a vida eterna, e Eu o ressuscitarei no último dia”. João 6:40

clip_image002Há apenas uma religião verdadeira:
“Há um só Senhor, UMA SÓ FÉ, um só batismo”. Efésios 4:5

2. SERÁ QUE DEUS TEM UMA MENSAGEM ESPECIAL PARA OS CRITÃOS DOS ÚLTIMOS DIAS?

Sim. Essa mensagem está dividida em três partes e aparece em Apocalipse 14:6-16. A proclamação dessas mensagens dadas por três anjos culmina com a segunda vinda de Cristo (versos 14-16).

(1) A MENSAGEM DO PRIMEIRO ANJO
“Então vi outro anjo, que voava pelo céu e tinha na mão o evangelho eterno para proclamar aos que habitam na terra, a toda nação, tribo, língua e povo. Ele disse em alta voz: ‘Temam a Deus e glorifiquem-no, pois chegou a hora do seu juízo. Adorem aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas'”. Apocalipse 14:6, 7.

Apesar das Escrituras retratarem essas três mensagens através da simbologia de três anjos, na verdade é o povo de Deus que apresenta essas mensagens ao mundo. Eles não proclamam um novo evangelho, mas o “evangelho eterno”, ao mundo inteiro, “cada nação, tribo, língua e povo”. O “evangelho eterno” de Jesus é a mesma mensagem de salvação que as pessoas no Velho Testamento aceitaram “pela fé” (Hebreus 3:16-19; 4:2; 11:1-40), o mesmo ensino que o próprio Jesus proclamou, o mesmo evangelho que os discípulos pregaram para conquistar o mundo para Cristo, o mesmo evangelho que tem sido anunciado pelos séculos da era cristã.

O evangelho de Jesus Cristo que oferece a salvação de forma simples quase desapareceu da igreja por mais de mil anos, durante a Idade das Trevas. Mas, a Reforma o reavivou e o povo de Deus prega isso ao redor do mundo hoje. O primeiro anjo proclama essa mesma mensagem do evangelho, mas sob uma nova abrangência: uma abrangência mundial, para chegar a todas as pessoas que vivem pouco antes da segunda vinda de Jesus.

Aqueles que aceitam essa mensagem são chamados para “temerem a Deus e glorificá-lO [refletir Seu caráter]”. Eles mostram ao mundo o caráter de amor de Deus, não apenas por suas palavras, mas também por sua vida, através de um testemunho dinâmico. Eles apresentam uma vibrante revelação do que Deus pode fazer através das pessoas que estão cheias do Espírito de Cristo.

clip_image003Quando essa mensagem dos três anjos deve ser proclamada ao redor do mundo? Quando a hora do juízo de Deus tiver chegado. A lição 13 explica que Jesus começou o trabalho do Seu juízo pré-advento em 1844. Naquele mesmo ano, 1844, Jesus inspirou pessoas ao redor do mundo a começarem a pregar a mensagem de Apocalipse 14.

Essa mensagem nos conclama a “adorar Aquele que fez os céus, [e] a terra”. (Apocalipse 14:7). Deus nos pede para lembrar do sábado “para o santificar”, porque “em seis dias o Senhor fez os céus e a terra” (Êxodo 20:8-11). Em 1844, quando Darwin estava propondo a teoria da evolução, Deus estava chamando Seu povo para voltarem a adorá-lO como Criador. Naquela mesma época, os que estavam pregando a mensagem dos três anjos descobriram o sétimo dia, o sábado da Palavra de Deus, e começaram a guardá-lo em honra ao Criador dos céus e da terra.

(2) A MENSAGEM DO SEGUNDO ANJO
“Um segundo anjo o seguiu, dizendo: ‘Caiu! Caiu a grande Babilônia que fez todas as nações beberem do vinho da fúria da sua prostituição!'”. Apocalipse 14:8

clip_image004O segundo anjo alerta: “caiu a grande Babilônia”. Apocalipse 17 é uma imagem contrastante com a mulher pura de Apocalipse 12, que representa a verdadeira igreja cristã. A mulher que representa Babilônia é uma mulher caída, que “fez todas as nações beberem do vinho da fúria da sua prostituição”.

O vinho da doutrina falsa tem permeado essas formas adulteradas de cristianismo. A mensagem do segundo anjo conclama o povo de Deus a resistir aos ensinos falsos de um cristianismo apostatado.

A Babilônia representa uma mistura de muitas formas de cristianismo apostatado. Ela é muito perigosa porque distorce o verdadeiro caráter de Deus, e O apresenta em caricaturas: ou Deus é vingativo e exigente, ou Deus é um avô sentimental que é bondoso demais para se incomodar com quem peca. Uma igreja saudável apresentará uma visão equilibrada de todos os atributos de Deus e mostrará como Sua justiça e misericórdia se combinam na afirmação de que Deus é amor.

Deus chama o povo para “sair” de Babilônia (18:4), para rejeitar os ensinos não-bíblicos, e seguir os ensinamentos de Cristo.

(3) A MENSAGEM DO TERCEIRO ANJO
“Um terceiro anjo os seguiu, dizendo em alta voz: ‘Se alguém adorar a besta e a sua imagem e receber a sua marca na testa ou na mão, também beberá do vinho do furor de Deus que foi derramado sem mistura no cálice da sua ira… Para todos os que adoram a besta e a sua imagem, e para quem recebe a marca do seu nome, não há descanso, dia e noite’. Aqui está a perseverança dos santos que obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus”. Apocalipse 14:9-12

A mensagem do terceiro anjo divide o mundo inteiro em dois grupos. De um lado se colocam os cristãos apóstatas que “adoram a besta e sua imagem, e para quem recebe a marca do seu nome”. Isso demanda uma resistência paciente por parte do santos que “obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus”.

Note o contraste entre os dois grupos. Aqueles que recebem a marca da besta são adoradores comprometidos que seguem idéias e práticas humanas. Os “santos” têm traços distintos: “perseverança”, obediência aos “mandamentos de Deus” e permanecer “fiéis a Jesus”.

Depois que essa mensagem em três partes houver sido espalhada pelo mundo, Jesus virá para fazer a “colheita” dos salvos:

clip_image005“Olhei, e diante de mim estava uma nuvem branca e, assentado sobre a nuvem, alguém ‘semelhante a um filho de homem’. Ele estava com uma coroa de ouro na cabeça e uma foice afiada na mão. Então saiu do santuário outro anjo, que bradou em alta voz àquele que tinha a foice afiada: ‘Tome a sua foice e faça a colheita, pois a safra da terra está madura; chegou a hora de colhê-la’. Assim, aquele que estava assentado sobre a nuvem passou sua foice pela terra, e a terra foi ceifada”. Apocalipse 14:14-16

3. A IGREJA DE DEUS DOS ÚLTIMOS DIAS

Você já se encontrou um cristão verdadeiro, que faz você se admirar de sua devoção, paciência e fé, e desejar ter uma experiência espiritual semelhante? Deus deu Sua mensagem especial de Apocalipse 14 para nossos dias porque ela pode produzir tal experiência.

Como discutido na Lição 25, Apocalipse 12:17 identifica os cristãos dos últimos dias como “os que obedecem aos mandamentos de Deus e se mantêm fiéis ao testemunho de Jesus”. Apocalipse 14:12 descreve esse mesmo grupo como os “santos que obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus”.

Vamos resumir as características dos cristãos dos últimos dias:

(1) Eles “permanecem fiéis ao testemunho de Jesus”. Mesmo quando Satanás joga Sua ira contra eles, eles “permanecem fiéis ao testemunho de Jesus”. Sua fé não está fundamentada em seus próprios atos, é um dom de Deus (Efésios 2:8). A igreja de Deus dos últimos dias vê mais e mais claramente o verdadeiro caráter de Cristo e, pela graça e através da fé, se tornam monumentos vivos do poder de Cristo habitando neles.

(2) Eles “guardam… a fé de Jesus” (Apocalipse 14:12, Versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição). A fé que Jesus teve, a fé que foi ensinada por Ele, a fé pela qual Ele viveu, agora está presente na vida dessas pessoas. Eles não apenas têm a verdade, eles “guardam” a verdade – eles a seguem. Para eles, religião é vida, a crença está relacionada com a prática, e a fé está ligada à obediência. Eles vivem “a fé de Jesus”.

Eles descobriram que os grandes ensinos da Bíblia, quando aplicados à vida diária, produzem uma vida cristã dinâmica. Eles descobriram que as grandes verdades bíblicas lhes despertam amor e devoção a Cristo, e isso satisfaz todos as necessidades e anseios do coração humano.

(3) Eles “obedecem aos mandamentos de Deus”, os Dez Mandamentos, a lei moral de Deus. Eles querem, mais que tudo, obedecer cada desejo, cada mandamento de Deus. Eles mostram seu amor a Deus e amor às outras pessoas mediante a obediência a todos os mandamentos de Deus, incluindo o quarto mandamento, que nos dirige para a adoração ao nosso Criador pela guarda do sábado.

(4) Eles partilham a mensagem do “evangelho eterno” pelo mundo (Apocalipse 14:6). O evangelho declara que Jesus morreu por nossos pecados e depois ressuscitou da tumba, a fim de que pudéssemos experimentar um relacionamento com Ele que nos salva. A igreja de Cristo desses últimos dias tem estado a pregar às pessoas em todo lugar para saírem da confusão religiosa e estabelecerem um relacionamento com Jesus baseado apenas nas verdades bíblicas.

clip_image006(5) Eles são guiados por um senso de urgência, pois “a safra da terra está madura; chegou a hora de colhê-la” (Apocalipse 14:15), e milhões ainda não encontraram a Cristo.

(6) Eles são impulsionados pela missão dada por Deus. Visto que a “Grande Babilônia” caiu, eles pleiteiam com aqueles que ainda vivem em confusão religiosa a saírem dela (Apocalipse 18:4). Eles desejam partilhar com as outras pessoas o maravilhoso relacionamento que têm com Cristo e a felicidade que alcançam como resultado disso.

Tudo isso e muito mais serve para unir os corações dos milhões de cristãos que atenderam ao chamado da mensagem dos três anjos. Sua vida de alegria os leva a se unirem ao apóstolo João e estenderem esse convite a você:

“Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo. Escrevemos estas coisas para que a alegria de vocês seja completa”. I João 1:3, 4, nota da margem.

Através de Seu Espírito e Sua igreja, Jesus convida você a também vir e entregar tudo o que você tem a Ele:

“O Espírito e a noiva [a igreja] dizem: ‘Vem!’. E todo aquele que ouvir diga:’Vem!’. Quem tiver sede, venha; e quem quiser, beba de graça da água da vida”. Apocalipse 22:17

4. AS DUAS COLHEITAS

A mensagem dos três anjos culmina quando Jesus voltar a essa terra para fazer a colheita dos salvos de todas as eras (Apocalipse 14:14-16). Jesus reúne todos os salvos e os leva com Ele para Suas “muitas mansões” no céu. (João 14:1-3, versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição). Ele acaba de vez com o pecado, a doença, a miséria e a morte. Os santos, então, começam a viver uma nova e gloriosa vida com Ele por toda a eternidade (Apocalipse 21:1-4).

clip_image007Jesus também fará uma “colheita” dos ímpios quando Ele vier:

“Outro anjo saiu do santuário dos céus, trazendo também uma foice afiada. E ainda outro anjo… bradou em alta voz àquele que tinha a foice afiada: ‘Tome sua foice afiada e ajunte os cachos de uva da videira da terra, porque as suas uvas estão maduras!” O anjo passou a foice pela terra, ajuntou as uvas e as lançou no grande lagar da ira de Deus. Elas foram pisadas no lagar, fora da cidade, e correu sangue do lagar”. Apocalipse 14:17-20

Esse será um tempo trágico de destruição final, um evento de muito sofrimento para Cristo, pois Ele precisará destruir aqueles que se recusam a ser salvos. Jesus “é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento”. (II Pedro 3:9).

Quando Jesus vier para fazer a colheita da terra, em qual você estará? Estará você entre a safra dos redimidos para a eternidade (Apocalipse 14:13-16)? Ou você estará entre a safra de uvas que suportará a ira com os perdidos (versos 17-20)?

clip_image008A escolha está claramente apresentada. De um lado, Jesus com as mãos marcadas dos pregos, instando com você para que se coloque ao lado dos “santos” que “obedecem aos mandamentos de Deus e mantêm a fé de Jesus” (verso 12). Do outro lado, estão as vozes de seres humanos, instando com você que a crença em toda a Bíblia e a obediência a todos os mandamentos de Deus não é importante.

A multidão na sala de julgamento de Pilatos certa vez teve que enfrentar uma situação bastante parecida com essa. De um lado estava Jesus, o divino-humano, o Deus que se fez homem. Do outro lado estava Barrabás, um homem sem esperança, incapaz de ajudar a si mesmo ou àqueles na multidão que testemunhavam aquela cena trágica. E ainda assim, quando a voz de Pilatos foi ouvida por aquela heterogênea multidão: “‘Qual dos dois vocês querem que eu lhes solte?’ Responderam eles: ‘Barrabás!'”.

“Perguntou Pilatos: ‘Que farei então com Jesus, chamado Cristo?'”.

“Todos responderam: ‘Crucifica-o'”.

E assim, Jesus, o inocente, foi crucificado; e Barrabás, o culpado, foi libertado. (ver Mateus 27:20-26).

A quem você escolhe hoje, Barrabás ou Jesus? Você prefere seguir as idéias e os ensinos de homens, e que são contrários aos mandamentos de Deus e ao evangelho eterno de Jesus? Ou você deseja “obedecer aos mandamentos de Deus e permanecer fiel ao testemunho de Jesus”? Lembre-se, o próprio Jesus prometeu enviar Seu Espírito Santo para resolver cada perplexidade em sua vida, curar cada mágoa, e satisfazer cada um dos seus anseios mais profundos.

Anúncios

Lição 25 – Como Encontrar a Igreja Verdadeira?

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

Deus freqüentemente tem dado mensagens especiais que vêm de encontro às necessidades de diferentes gerações; uma mensagem para animar Adão e Eva depois que o pecado tinha arruinado o mundo; uma mensagem para o mundo antes do cataclismo do Dilúvio, mensagens para Israel quando a Assíria ou a Babilônia ameaçava. Jesus veio com uma mensagem especial para a Sua geração, e Deus também deu uma mensagem especial para nossos dias. Os capítulos 12 e 14 de Apocalipse resumem a mensagem especial de Deus para nós hoje. Nesta série Descobertas Bíblicas e nessa lição que se segue, podemos estudar essa mensagem.

clip_image0011. A IGREJA ESTABELECIDA POR JESUS

A vida e os ensinos de Jesus estabeleceram unidade de crença e um companheirismo íntimo na igreja apostólica fundada por Ele. Os apóstolos tinham um relacionamento de intimidade com o Cristo ressurgido. Paulo descreve esse laço de união que os unia comparando-o com um relacionamento matrimonial:

“Eu os prometi a um único marido, Cristo, querendo apresentá-los a Ele como uma virgem pura”. II Coríntios 11:2 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

De acordo com Paulo, a igreja cristã é uma virgem pura, a noiva de Cristo – um símbolo usado para retratar a igreja amada de Cristo.

No Velho Testamento, a mesma metáfora é usada para descrever Israel, o povo escolhido de Deus. Deus disse a Israel: “como noiva, você me amava” (Jeremias 2:2); “Eu sou o marido de vocês” (Jeremias 3:14, nota da margem)
O livro de Apocalipse também fala da igreja como uma mulher:

“Apareceu no céu um sinal extraordinário: uma mulher vestida do sol, com a lua debaixo dos seus pés e uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça”. Apocalipse 12:1

clip_image002 (1) UMA MULHER “VESTIDA DE SOL”. Isso sugere uma igreja radiante como o sol por estar vestida da gloriosa presença de Cristo. Jesus, a “luz do mundo” (João 8:12), brilha através dos membros de Sua igreja, e assim eles se tornam “luz do mundo” (Mateus 5:14).

(2) TEM A “LUA DEBAIXO DOS SEUS PÉS”. A lua representa a luz refletida do evangelho nos sacrifícios e cerimônias do povo de Deus no Velho Testamento. A lua debaixo dos pés sugere que a luz refletida do evangelho foi substituída pelo ministério de Cristo.

(3) TEM UMA “COROA DE DOZE ESTRELAS NA CABEÇA”. As estrelas representam os doze apóstolos, homens nobres cujo testemunho sobre Jesus continua irradiando a vida de muitos até hoje.

Essa descrição da mulher claramente indica que João tinha em mente a transição do povo de Deus, Israel, do Velho Testamento, para a igreja cristã do Novo Testamento que foi estabelecida por Jesus. O sol, a lua e as estrelas enfatizam o ministério da igreja de levar a luz, ou seja, espalhar as boas novas a todos os cantos da terra.

2. O DRAMA DA DERROTA DE SATANÁS

O aparecimento da mulher prepara a cena para o grande drama:

“Ela estava grávida, e gritava de dor, pois estava para dar à luz. Então apareceu no céu outro sinal: um enorme dragão vermelho com sete cabeças e dez chifres, tendo sobre as cabeças sete coroas. Sua cauda arrastou consigo um terço das estrelas do céu, lançando-as na terra. O dragão colocou-se diante da mulher que estava para dar à luz, para devorar o seu filho no momento em que nascesse. Ela deu à luz um filho, um homem, que governará todas as nações com cetro de ferro. Seu filho foi arrebatado para junto de Deus e de Seu trono”. Apocalipse 12:2-5

Três figuras chaves participam nesse drama:

(1) A MULHER, já identificada como a igreja de Deus.

clip_image003(2) O FILHO nascido dessa mulher que é “arrebatado para junto de Deus e de Seu trono” e algum dia “governará todas as nações”.

(3) O DRAGÃO, representando o Diabo, ou Satanás.

“Houve então uma guerra nos céus. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram. Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar no céu. O GRANDE DRAGÃO foi lançado fora. Ele é a antiga serpente CHAMADA DIABO, OU SATANÁS, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra”. Apocalipse 12:7-9

A cena é esclarecida quando entendemos os símbolos. Quando o Diabo e seus anjos “perderam o seu lugar no céu”, eles foram “lançados à terra”. Quando Jesus nasceu nesse mundo, o Diabo tentou matar o filho tão logo Ele nasceu. No entanto, teve seus planos frustrados, e Jesus foi “arrebatado” para o trono de Deus.

Satanás, então, concentrou-se em aniquilar a igreja cristã que Cristo estabeleceu. O apóstolo João, que escreveu o Apocalipse, vislumbrou esse grande conflito entre Cristo e Satanás percorrendo todo o mundo. Quando a batalha chega ao clímax na crucifixão de Cristo, João ouve uma voz gritando do céu:

clip_image004“Agora veio a salvação, o poder e o Reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo, pois foi lançado fora o acusador dos nossos irmãos, que os acusa diante de Deus, dia e noite”. Apocalipse 12:10 (Compare com João 12:31 e Lucas 10:18).
Jesus obteve uma decisiva vitória sobre Satanás na cruz. Então, Ele confirmou a certeza do plano da “salvação” e providenciou “poder” para resistir às artimanhas de Satanás. “O Reino de Deus” foi assegurado, e a autoridade do nosso Salvador de ser nosso Sumo Sacerdote e Rei foi confirmada.

“Agora veio a salvação” declara que o evento que coroa a história tinha chegado. O nascimento de Cristo, o Salvador do mundo, havia ocorrido (verso 5). Apesar das ferozes tentações, Jesus viveu uma vida sem pecado, morreu e ressurgiu para conquistar a vitória sobre o pecado e a morte (verso 10). Satanás foi derrotado para sempre (versos 7-9). A cruz foi glorificada em virtude do seu poder total.

O anúncio “agora veio a salvação”, não interessa apenas a João, mas ao universo inteiro:

“Portanto, celebrem-no, ó céus, e os que neles habitam! Mas, ai da terra e do mar, pois o Diabo desceu até vocês! Ele está cheio de fúria pois sabe que lhe resta pouco tempo”. Apocalipse 12:12

Todo o céu celebrou a vitória de Jesus. Cristo destruiu qualquer afirmação que Satanás já tenha feito quando tinha um lugar no céu, e um Satanás vencido perdeu para sempre qualquer reivindicação sobre o nosso mundo.

3. A IGREJA CRISTÃ EM CONFLITO COM SATANÁS

Antes de Jesus subir ao céu, Ele estabeleceu a igreja cristã (simbolizada pela mulher). Sua morte na cruz deu poder à igreja cristã para vencer a Satanás.

“Eles [a igreja cristã] o venceram [a Satanás] pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do testemunho que deram; diante da morte, não amaram a própria vida”. Apocalipse 12:11.

clip_image005Cristo agora é capaz de dar Seu poder, que é fruto da Sua vitória, para Sua igreja. Jesus triunfou decisivamente sobre Satanás na cruz, e agora continua a triunfar sobre Satanás através da Sua igreja. Três características foram marcas da igreja triunfante durante os séculos passados da era cristã:

(1) “Eles o venceram [a Satanás] pelo sangue do Cordeiro”. Jesus foi arrebatado para o trono de Deus para que pudesse aplicar eficientemente Seu sangue na vida de seus seguidores. Ele pode limpar o registro de nossos pecados, nos salvar através do derramamento de Seu sangue (I João 1:7), e nos dar poder para viver uma vida cristã saudável a cada dia.

(2) “Diante da morte, não amaram a própria vida”. “O sangue do Cordeiro” lhes deu o desejo de morrer pela causa de Cristo; eles não temeram a morte. Deus sofreu muito por eles, logo esses mártires cristãos também estavam desejosos de sofrer e morrer. Cada filho e filha de Deus fez esse sacrifício. Uma história é contada sobre uma mãe cristã que foi jogada aos leões na arena romana por ter decidido ser fiel a Cristo até o fim e não ao estado. Sua jovem filha, ao invés de se atemorizar, sentiu crescer dentro de si uma devoção fervorosa. Enquanto os leões atacavam sua mãe, ela se levantou e gritou: “Eu também sou cristã”. Os oficiais romanos a prenderam e a jogaram às feras famintas.

clip_image006 (3) “Eles o venceram [a Satanás]… pela palavra do testemunho que deram”. Não muitas palavras, mas pela palavra do testemunho – o testemunho das suas vidas, o testemunho vivo do poder de Jesus e do Seu Evangelho. Durante as horas mais escuras da era cristã, um exército de cristãos, com pessoas desde os pais da igreja primitiva até os reformadores protestantes, subsistiram aos piores ataques que o Diabo lançou sobre eles, simplesmente pelo testemunho dinâmico de suas vidas.

Apocalipse 12:11 descreve uma igreja vitoriosa cheia de vencedores: apóstolos, mártires, reformadores, e outros cristãos fiéis. A bondade, fidelidade, coragem que eles demonstraram, e o triunfo que obtiveram, abalou os séculos e transformou o mundo.

“Quando o dragão foi lançado à terra, começou a perseguir a mulher que dera à luz o menino. Foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que ela pudesse voar para o lugar que lhe havia sido preparado no deserto, onde seria sustentada durante um tempo, tempos e meio tempo, fora do alcance da serpente. Então a serpente fez jorrar da sua boca água como um rio, para alcançar a mulher e arrastá-la com a correnteza. A terra, porém, ajudou a mulher, abrindo a boca e engolindo o rio que o dragão fizera jorrar da sua boca”. Apocalipse 12:13-16

clip_image007Como fora predito, durante a Idade das Trevas da era cristã, Satanás enviou “uma corrente” de perseguições contra a igreja, a fim de “arrastá-la com a correnteza”. Satanás deseja destruir a influência de Cristo através do extermínio de Sua igreja e usa todas as artimanhas de seu gênio do mal para alcançar esse objetivo. O dragão representa primariamente a Satanás. Mas, lembre-se que Satanás usa as instituições humanas para atacar o povo de Deus. Ele usou o Rei Herodes de Roma para tentar matar o bebê Jesus assim que Ele nasceu. Ele trabalhou através dos rivais religiosos de Cristo, que por ciúme, espionavam e importunavam a Jesus, até que finalmente conseguiram a Sua execução na cruz. Mas a aparente vitória de Satanás se transformou no maior triunfo de Cristo.

Furioso por causa de sua derrota na cruz, Satanás projetou sua ira contra a igreja que Jesus estabelecera. Durante as décadas depois da crucifixão de Cristo, milhares enfrentaram a morte no Coliseu Romano, em esquinas da cidade, calabouços, e esconderijos no deserto.

Primeiramente, as autoridades seculares iniciaram essa perseguição. Mas, depois da morte dos apóstolos, uma mudança gradual tomou conta da igreja. Durante os segundo, terceiro e quarto séculos, muitos na igreja começaram a modificar as verdades que Cristo e Seus apóstolos tinham ensinado. Alguns líderes apóstatas até mesmo começaram a perseguir os cristãos que insistiam em manter a pureza das crenças do Novo Testamento.

Os estudiosos estimam que por volta de 50 milhões de fiéis pereceram. Num esforço de acabar com a igreja, o Diabo enviou uma “corrente” de perseguições para “arrastar” a igreja “com a correnteza”. “A terra, porém, ajudou a mulher abrindo a boca e engolindo o rio” de perseguições e falsas doutrinas.

Durante essas perseguições medievais, a verdadeira igreja se isolou da liderança apóstata e se refugiou no “deserto, para um lugar que lhe havia sido preparado por Deus para que ali a sustentassem durante mil duzentos e sessenta dias” (verso 6). Essa predição foi cumprida durante os 1260 anos de perseguição que foi desde 538 AD, até 1798 (um dia normalmente significa um ano em linguagem profética da Bíblia, ver Ezequiel 4:6).

Durante esses anos de trevas, cristãos fiéis que criam na Bíblia encontraram refúgio em todos os lugares possíveis, como por exemplo, nos vales Valdenses do ocidente da Itália e no oriente da França, e na igreja celta nas Ilhas Britânicas.

4. A IGREJA DE DEUS EM NOSSOS DIAS

Isso nos traz de volta a nossos dias, para a igreja verdadeira de Cristo à partir de 1798. Como é de se esperar, o Dragão ainda está irado contra o povo de Deus. A grande guerra invisível continua. Na verdade, Satanás está preparando o seu maior ataque à igreja numa época pouco antes da vinda de Jesus.

“O dragão irou-se contra a mulher e saiu para guerrear contra o restante da sua descendência, os que obedecem aos mandamentos de Deus e se mantêm fiéis ao testemunho de Jesus”. Apocalipse 12:17

Essa profecia diz respeito aos dias atuais. Satanás está irado; ele está em guerra com “o restante da” descendência da mulher – o povo de Deus dos dias atuais. Note os sinais que identificam esse povo:

clip_image008 (1) Esses crentes dos últimos dias “se mantém fiéis ao testemunho de Jesus”. Por se apegarem fielmente às puras doutrinas da Palavra de Deus, eles testificam de Jesus através de uma vida cristã dinâmica.
(2) Esses cristãos dos últimos dias são um povo de profecia. Receber o “testemunho de Jesus Cristo” capacitou João a escrever o livro de Apocalipse (Apocalipse 1:1-3). O grupo final de crentes recebeu um dom semelhante: testemunhos diretos vindos de Deus através de um mensageiro terrestre. Seu dom de profecia se concentra na revelação de Deus sobre a missão e destino final da igreja.

(3) Esses cristãos dos últimos dias também são identificados como “aqueles que obedecem aos mandamentos de Deus”. Eles não apenas defendem a integridade dos Dez Mandamentos, também obedecem. O amor de Deus em seus corações produz obediência com alegria (Romanos 5:5; 13:8-10).

Esses cristãos dos últimos dias seguem o exemplo de Cristo e da igreja primitiva: obedecem aos mandamentos de Deus. Isso provoca imensamente o Dragão – o Diabo. Ele trava uma batalha com o “restante da sua descendência [da mulher]”, porque eles testemunham do amor de Deus que produz discípulos obedientes. Jesus disse:

“Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos”. João 14:15

A vida desses cristãos dos últimos dias mostra que é possível amar a Deus de todo o nosso coração e ao nosso próximo como a nós mesmos. De acordo com Jesus, essas qualidades de amor a Deus e amor pelas pessoas, sintetizam os Dez Mandamentos de Deus (Mateus 22:35-40).

O quarto desses mandamentos nos diz para observarmos o sétimo dia da semana, o sábado. Já que o amor por Jesus fundamentou todos os dez mandamentos no coração desses cristãos dos últimos dias, eles são guardadores do sábado bíblico.

O sábado é o coração da mensagem final de Deus a Seu povo em Apocalipse capítulos 12 e 14:6-15. Todas os recursos do céu estão preparados para os cristãos dos últimos dias descritos nesses capítulos. Um Salvador vivo é sua constante companhia, e o Santo Espírito trabalha neles para fortalecer a sua natureza interior. A promessa é certa: eles irão vencer Satanás “pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do testemunho” (Apocalipse 12:11).

Você gostaria de ser um desses cristãos dos últimos dias que “obedecem aos mandamentos de Deus” e “se mantém fiéis ao testemunho de Jesus?” Por que não tomar essa decisão agora mesmo?

Lição 24 – O que acontece quando uma pessoa morre?

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

Nós nos encolhemos quando pela primeira vez uma criança nos pergunta: “O que significa morrer?” Temos dificuldades de falar, ou até mesmo de pensar, na morte de alguém que amamos. A morte é o inimigo em comum de todas as pessoas em todos os lugares.

Quais são as respostas para as perguntas difíceis sobre a morte? Há vida após a morte? Será que voltaremos a ver nossos amados que morreram?

1. ENFRENTANDO DESTEMIDAMENTE A MORTE

clip_image001Todos nós, em determinados momentos, talvez pouco depois do falecimento de um amigo ou pessoa querida, temos a sensação de um vazio no coração, um sentimento de solidão que toma conta de nós e que nos conscientiza da finitude da vida.

Com respeito a um assunto tão importante, tão cheio de emoções, onde podemos aprender a verdade sobre o que acontece quando morremos? Felizmente, parte da missão de Cristo aqui na terra foi libertar “aqueles que durante toda a vida estiveram escravizados pelo medo da morte” (Hebreus 2:15). Na Bíblia, Jesus apresenta mensagens confortadoras, e responde claramente a todas as nossas perguntas sobre a morte e a vida futura.

2. A MANEIRA QUE FOMOS FEITOS POR DEUS

Para entender a verdade sobre a morte na Bíblia, precisamos começar do princípio e ver de que maneira fomos feitos por Deus.

“Então o Senhor Deus formou o homem [‘adam’, hebraico] do PÓ DA TERRA [‘adamah’, hebraico] e soprou em suas narinas O FÔLEGO DE VIDA, e o homem se tornou UM SER VIVENTE [‘ALMA’, hebraico]”. Gênesis 2:7 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

clip_image002Na Criação, Deus formou Adão do “pó da terra”. Ele tinha um cérebro em sua cabeça pronto para pensar; sangue em suas veias pronto para correr. Então, Deus soprou em suas narinas o “fôlego de vida”, e Adão se tornou “ser vivente” [em hebraico, ‘alma vivente’]. Note cuidadosamente que a Bíblia não diz que Adão recebeu uma alma; ao invés, diz que “o homem se tornou uma alma vivente”. Quando Deus deu o fôlego de vida a Adão, a vida começou a fluir de Deus. A junção do corpo com o “fôlego de vida” tornou Adão “um ser vivente”, “uma alma vivente”. Por essa razão, poderíamos escrever a equação fundamental do ser humano da seguinte maneira:

“Pó da Terra” + “Fôlego de Vida” = “Alma Vivente”
Corpo sem Vida + Fôlego de Deus = Ser Vivente

Cada um de nós tem um corpo e uma mente racional. Enquanto continuarmos a respirar, seremos seres vivos, alma vivente.

3. O QUE ACONTECE QUANDO UMA PESSOA MORRE?

Na morte reverte-se do processo criativo descrito em Gênesis 2:7:

“O PÓ volte à terra de onde veio, e o ESPÍRITO [fôlego de vida] volte a Deus, que o deu”. Eclesiastes 12:7

A Bíblia freqüentemente usa as palavras hebraicas para “fôlego” e “espírito” alternadamente. Quando as pessoas morrem, o corpo se torna “pó”, e o “espírito” (o “fôlego de vida”) retorna para Deus, que foi a sua fonte. Mas o que acontece com a alma?

“Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus,… todas as ALMAS são minhas;… a alma que pecar, essa morrerá”. Ezequiel 28:3, 4; Versão Almeida Revista e Atualizada, 2a Edição

A alma morre! Ela ainda não é imortal; ela pode perecer.

A equação derivada de Gênesis 2:7, ao sermos feitos por Deus, faz o caminho reverso na morte.

“Pó da Terra” – “Fôlego de Vida” = “Uma Alma Morta”
Corpo Sem Vida – Fôlego de Deus = Um Ser Morto

A morte é a cessação da vida. O corpo se desintegra e se torna pó, e o fôlego, ou espírito, volta para Deus. Somos uma alma com vida, mas na morte, nos tornamos apenas um cadáver, uma alma morta, um ser morto. Logo, os mortos não estão conscientes. Quando Deus toma para si o fôlego de vida que Ele nos deu, nossa alma morre. Mas, como veremos mais tarde nessa mesma lição, temos esperança com Cristo.

4. QUANTO SABE UMA PESSOA MORTA?

Depois da morte, o cérebro se desintegra; ele não tem capacidade de saber ou relembrar de coisa alguma. Todas as emoções humanas cessam.

“Para eles, o amor, o ódio e a inveja há muito desapareceram…”. Eclesiastes 9:6

Uma pessoa morta não fica consciente, por isso não percebe nada do que está acontecendo. Eles simplesmente não têm contato algum com os vivos:

“Pois os vivos sabem que morrerão, mas OS MORTOS NADA SABEM”. Eclesiastes 9:5

clip_image003A morte é como um sono sem sonho; na verdade, a Bíblia chama a morte de “sono” em 54 vezes. Jesus ensinou que a morte é como um sono. Ele disse aos Seus discípulos:

“‘Nosso amigo LÁZARO ADORMECEU, mas vou até lá para acordá-lo’. Seus discípulos responderam: ‘Senhor, se ele dorme, vai melhorar’. Jesus tinha falado da sua morte, mas os seus discípulos pensaram que ele estava falando simplesmente do sono. Então lhes disse claramente: ‘LÁZARO MORREU'”. João 11:11-14

Lázaro já estava morto por quatro dias quando Jesus chegou. Mas quando se dirigiram à tumba, Jesus provou que é tão fácil para Deus ressuscitar alguém dos mortos quanto é para nós acordar alguém que esteja dormindo.

É muito confortador saber que nossos amados que já faleceram estão “dormindo”, descansando em paz na confiança em Jesus. O túnel da morte, que nós mesmos poderemos atravessar algum dia, é um sono calmo e paz absoluta.

5. DEUS SE ESQUECE DOS QUE ESTÃO DORMINDO O SONO DA MORTE?

O sono da morte não é o fim da história. Na tumba, Jesus disse a Marta, irmão de Lázaro:

“EU SOU A RESSURREIÇÃO e a vida. AQUELE QUE CRÊ EM MIM, AINDA QUE MORRA, VIVERÁ”. João 11:25

Aqueles que morrem “em Cristo” dormem na sepultura, mas ainda têm um futuro brilhante. Aquele que conta até mesmo os cabelos de nossa cabeça e que nos guarda na palma de Sua mão não se esquecerá de nós. Poderemos morrer e voltar ao pó, mas o registro de nossa individualidade permanece claro na mente de Deus. E quando Jesus vier, Ele acordará os justos mortos do sono da morte, da mesma forma que fez com Lázaro.

clip_image004“Não queremos que vocês sejam ignorantes quanto AOS QUE DORMEM, PARA QUE NÃO SE ENTRISTEÇAM COMO OS OUTROS QUE NÃO TÊM ESPERANÇA… Pois dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá dos céus, E OS MORTOS EM CRISTO RESSUSCITARÃO PRIMEIRO. Depois NÓS, OS QUE ESTIVERMOS VIVOS, SEREMOS ARREBATADOS COM ELES nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre. CONSOLEM-SE UNS AOS OUTROS COM ESSAS PALAVRAS”. I Tessalonicenses 4:13, 16-18

No dia da ressurreição, o túnel da morte se parecerá mais com um breve descanso. Os mortos não têm consciência do que está acontecendo. Aqueles que aceitaram a Cristo como seu Salvador, serão despertados do sono pela Sua maravilhosa voz vinda dos céus.

E a esperança da ressurreição não é a única: temos também a esperança de um lar celestial no qual Deus “enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor” (Apocalipse 21:4). Aqueles que amam a Deus não precisam ter medo da morte. Além da morte está uma eternidade de vida plena com Deus. Jesus tem “as chaves da morte” (Apocalipse 1:18). Sem Cristo, a morte seria uma estrada de mão única que terminaria num estado total de esquecimento. Mas em Cristo há uma esperança gloriosa e radiante.

6. SOMOS SERES IMORTAIS?

clip_image005Quando Deus criou Adão e Eva, eles foram criados seres mortais, isso é, sujeitos à morte. Se tivessem permanecido obedientes à vontade de Deus, eles nunca teriam morrido. Mas quando pecaram, eles abriram mão de seu direito à vida. Pela desobediência, eles ficaram sujeitos à morte. O pecado deles infectou a raça humana inteira, e já que todos pecaram, todos somos mortais, sujeitos à morte (Romanos 5:12). E não há numa pista na Bíblia de que a alma humana possa existir como uma entidade consciente após a morte.

A Bíblia nenhuma vez descreve a alma como sendo imortal, isso é, não sujeita à morte. As palavras gregas e hebraicas para “alma”, “espírito” e “fôlego” aparecem 1.700 vezes na Bíblia. Mas nem mesmo uma vez a alma, o espírito ou o fôlego humano é chamado de imortal. Atualmente, apenas Deus possui a imortalidade.

“Deus… é… O ÚNICO QUE É IMORTAL”. I Timóteo 6:15, 16

As Escrituras deixam claro que as pessoas nessa vida são mortais: sujeitas à morte. Mas quando Jesus retornar, nossa natureza passará por uma mudança radical.

Eis que eu lhes digo um mistério: NEM TODOS DORMIREMOS, mas TODOS SEREMOS TRANSFORMADOS, num momento, num abrir e fechar de olhos, AO SOM DA ÚLTIMA TROMBETA. Pois a trombeta soará, OS MORTOS RESSUSCITARÃO incorruptíveis, e NÓS SEREMOS TRANSFORMADOS. Pois é necessário que aquilo que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e O QUE É MORTAL, DE IMORTALIDADE”. I Coríntios 15:51-53

Como seres humanos, não somos imortais. Mas a segurança do cristão é que nos tornaremos imortais quando Jesus vier a segunda vez a essa terra. A certeza da promessa da imortalidade foi demonstrada quando Jesus irrompeu para fora de Sua tumba e:
“TORNOU INOPERANTE A MORTE e TROUXE À LUZ A VIDA E A IMORTALIDADE por meio do evangelho”. II Timóteo 1:10

A perspectiva de Deus sobre o destino humano é clara: morte eterna para aqueles que rejeitarem a Cristo e se apegarem a seus pecados, ou o dom da imortalidade quando Jesus vier para buscar aqueles que O aceitaram como Senhor e Salvador.

7. ENFRENTANDO A MORTE DE UMA PESSOA QUERIDA

clip_image006Os medos com os quais naturalmente lutamos quando nos vemos em face da morte se tornam especialmente dolorosos quando alguém de quem gostamos morre. A solidão e o sentimento de perda podem ser dominantes. A única solução para a angústia causada pela separação de uma pessoa amada é o conforto que apenas Cristo pode dar. Lembre-se que nossos queridos estão dormindo, e que nossos amados que descansam serão ressuscitados por Jesus na “ressurreição para a vida” quando Ele vier.

Deus está planejando algumas reuniões maravilhosas. Os filhos serão devolvidos a seus pais, maridos e mulheres se entregarão a um terno e caloroso abraço. As separações cruéis da vida estarão terminadas. “A morte foi destruída pela vitória”. (I Coríntios 15:54).
Alguns acham tão dolorosa a separação de seus queridos que morreram que tentam fazer contacto com eles através de médiuns espiritualistas ou pessoas da Nova Era que se denominam canais de comunicação com os espíritos. A Bíblia nos dá um aviso muito especial sobre as tentativas de aliviar a dor da morte dessa maneira:

“Quando vos disserem: ‘Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram’, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos?” Isaías 8:19, Versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição.

De fato, por quê? A Bíblia claramente revela que os mortos não têm consciência de nada. A verdadeira solução para a angústia causada pela separação das pessoas amadas é o conforto que apenas Cristo dá. Passar tempo se comunicando com Cristo é a maneira mais saudável para crescer durante os momentos de aflição. Lembre-se sempre que a próxima impressão consciente que virá aos que morrem em Cristo será o som da Segunda Vinda de Cristo despertando os mortos!

8. ENFRENTANDO DESTEMIDAMENTE A MORTE

A morte nos rouba praticamente tudo. Mas uma coisa que ela não pode tirar de nós é a confiança em Cristo, e Cristo pode colocar tudo de volta a seu lugar. A morte nem sempre reinará nesse mundo. O diabo, os ímpios, a morte, e o túmulo perecerão no “lago de fogo” que é “a segunda morte” (Apocalipse 20:14).

Aqui estão quatro sugestões simples para enfrentar destemidamente a morte:

(1) Viva uma vida confiando verdadeiramente na esperança que Cristo dá, e você estará preparado para morrer a qualquer momento.

(2) Através do poder do Espírito Santo, seja obediente aos mandamentos de Deus, e você estará preparado para a segunda vinda, à partir da qual você nunca mais morrerá.

(3) Pense na morte como um curto tempo de sono do qual você será acordado pela voz de Jesus quando Ele vier a segunda vez.

(4) Aprecie a certeza que Jesus nos dá de que teremos um lar celestial com Ele por toda eternidade.

A verdade bíblica liberta uma pessoa do medo da morte porque revela a Jesus, o único que nem mesmo a morte conseguiu vencer. Quando Jesus entra em nossa vida, Ele faz nosso coração transbordar com paz:

“Deixo-lhes a paz; a Minha paz lhes dou… Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo”. João 14:27

Jesus também nos ajuda a lidar com a tragédia de perder alguém muito estimado. Jesus andou pelo “vale da sombra da morte”; Ele conhece as densas trevas que temos que atravessar.

“Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, para que, POR SUA MORTE, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o Diabo, e LIBERTASSE AQUELES QUE DURANTE TODA A VIDA ESTIVERAM ESCRAVIZADOS PELO MEDO DA MORTE”. Hebreus 2:14, 15

clip_image007Dr. James Simpson, o grande médico que desenvolveu a anestesia, experimentou uma terrível perda quando seu filho mais velho morreu. Ele sofreu profundamente, como qualquer pai sofreria. Então, ele descobriu um caminho de esperança. No túmulo de seu amado filho, ele erigiu uma lápide e nela escreveu umas palavras que demonstravam Sua esperança e fé nas promessas de Jesus: “Apesar de tudo, Ele vive”.

Isso diz tudo. Algumas vezes, uma tragédia pessoal pode aparecer repentinamente vindo do céu; apesar disso, Jesus vive! Nossos corações podem estar feridos; apesar de tudo, Jesus vive!

Em Cristo, temos esperança de vida após a morte. Ele é “a ressurreição e a vida” (João 11:25), e Ele promete: “Porque Eu vivo, vocês também viverão” (João 14:19). Cristo é nossa única esperança para a vida após a morte. E quando Cristo retornar, Ele nos dará a imortalidade. Nunca mais viveremos sob a sombra da morte, por teremos vida eterna. Você já descobriu em sua vida a realidade dessa grande esperança que pode nos ajudar a enfrentar os momentos mais difíceis? Se você nunca aceitou a Jesus como seu Senhor e Salvador, por que você não faz isso agora mesmo?

Lição 23 – O que é e onde é o inferno?

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

Um aluno entrou em sua escola atirando, e vários dos seus colegas de classe foram mortos. Um homem ressentido por ter sido despedido de seu trabalho entrou atirando no local em que trabalhava e matou seu chefe. Uma mãe empurrou seu carro para dentro de um lago com seus dois filhos pequenos dentro, e os afogou.

clip_image001Em pelo menos dois continentes, milhares de pessoas têm sido mortas em virtude de guerras motivadas pela limpeza étnica. Séculos de dominação da parte de dois ou mais grupos étnicos são as razões para tais atrocidades. Homens, mulheres, crianças e até mesmo bebês têm sido mortos, mutilados, espancados e violentados.

Punir esses bárbaros crimes com a pena de morte, mesmo para os assassinos a sangue frio, é um ato condenado por muitos. Os grupos contrários à pena de morte protestam em voz alta, chamando isso de um “ritual pagão” e desumano. Eles perguntam: Será que esses assassinos estão além da redenção?

Qual é a maneira mais humana de executar os criminosos condenados? A cadeira elétrica? Alguns pensam que talvez seja uma droga letal que cause o mínimo de dor. Outros defendem que a vida se encerraria mais rapidamente pelo enforcamento.

Mas, em todos esses acalorados debates sobre a sentença de morte, há uma opção que não é considerada por ninguém. Ninguém sugere que os assassinos a sangue frio, que cruelmente acabaram com a vida de outra pessoa, paguem com a agonia física de ser torturado até a morte. Ninguém, por exemplo, sugeriu até hoje que esses assassinos queimem até morrer.

Por incrível que pareça, muitos cristãos sinceros assumem que nosso Pai celestial fará algo muito pior que isso. Eles alegam que os ímpios devem ser torturados a fim de pagar por seus pecados. E que melhor maneira de Deus fazer isso do que colocá-los num lugar de tormento eterno?

Mas, o que realmente acontecerá com os ímpios? Como o destino deles pode ser compatível com o amor e a justiça de Deus? Vamos procurar as respostas bíblicas para essas perguntas.

1. O ÚLTIMO SOFRIMENTO DE JESUS

Por 6.000 anos Deus tem amavelmente chamado homens e mulheres.

“Juro pela minha vida, palavra do Soberano, o Senhor, que não tenho prazer na morte dos ímpios, antes tenho prazer em que eles se desviem dos seus caminhos e vivam!” Ezequiel 11:33 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

clip_image002A cruz revelou o quanto Deus deseja resgatar a humanidade caída. Quando Jesus clamou na cruz: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo”, Ele expôs a dor do Seu coração (Lucas 23:34). Pouco depois Jesus entregou Sua vida e, alguns crêem, morreu de um coração quebrantado (João 19:30, 34).

Mas, mesmo com essa poderosa demonstração de amor divino, muitos indivíduos ainda não se voltam para Jesus. Enquanto o pecado dominar este mundo, ele continuará a multiplicar a miséria humana. Por isso o pecado deve ser destruído. Qual é o plano de Deus para acabar com o pecado?

“O dia do Senhor, porém, virá… Os céus desaparecerão com um grande estrondo, os elementos serão desfeitos pelo calor, e A TERRA, E TUDO O QUE NELA HÁ, SERÁ QUEIMADA”. II Pedro 3:10, nota da margem.

Deus deve finalmente limpar o universo do mal e colocar um ponto final no pecado. Aqueles que persistirem em se apegar ao pecado serão finalmente destruídos pelo fogo que está preparado para o Diabo, seus anjos e o pecado de nosso mundo. Que sofrimento para o coração de Jesus ao ver o fogo consumindo aqueles pelos quais Ele morreu para salvar.

clip_image0032. ONDE E QUANDO VAI QUEIMAR O INFERNO?

Ao contrário de algumas concepções populares, Deus não tem um local onde há um grande fogo queimando, chamado de “inferno”, aonde os pecadores vão quando morrem. O inferno acontece quando essa terra for transformada num lago de fogo. Deus espera para efetuar a sentença sobre os ímpios até o julgamento final ao final dos mil anos (Apocalipse 20:9-15).

“Os céus e a terra que agora existem estão reservados para o fogo, guardados para o dia do juízo e para a destruição dos ímpios”. II Pedro 3:7

Deus nunca planejou que qualquer ser humano acabasse sua vida no fogo do inferno. Contudo, quando as pessoas se recusam a abandonar Satanás e se apegam aos seus pecados, eles finalmente precisam receber as conseqüências de suas escolhas.

“Então Ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, PREPARADO PARA O DIABO E SEUS ANJOS'”. Mateus 25:41

De acordo com Jesus, quando será o inferno?

“Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim também acontecerá NO FIM DESTA ERA [FIM DOS TEMPOS, Nova Tradução na Linguagem de Hoje]. O Filho do Homem enviará os Seus ANJOS, e eles TIRARÃO do Seu Reino TODO O QUE FAZ TROPEÇAR E TODOS OS QUE PRATICAM O MAL. ELES OS LANÇARÃO NA FORNALHA ARDENTE, onde haverá choro e ranger de dentes”. Mateus 13:40-42

O joio, os que fazem o mal, não serão queimados até o fim do mundo. Antes que essa sentença seja levada a cabo, todo o universo deve ter certeza de que Deus foi justo em todas as maneiras de lidar com o cada ser humano. Como foi detalhado na Lição 22, no grande conflito que há entre Cristo e Satanás, Satanás tem tentado provar para o universo que o seu modo de viver, o pecado, é melhor; Jesus tem demonstrado que a vida de obediência é a chave para ter uma vida mais satisfatória.

clip_image004Ao final dos mil anos, essa demonstração culminará no julgamento de Satanás, de seus anjos, e dos ímpios. Depois que os livros de registro forem abertos, e for revelada cada parte que cada pessoa desempenhou nesse grande drama, Deus lançará Satanás, a morte, e o túmulo, juntamente com todos cujos nomes “não foram encontrados no livro da vida… no lago de fogo” (Apocalipse 20:14, 15). De acordo com o próximo verso, Apocalipse 21:1, depois que Deus purificar a terra do pecado, com fogo, Ele criará “novos céus e uma nova terra”.

3. POR QUANTO TEMPO QUEIMARÁ O INFERNO?

Muitos crentes aceitam a idéia de que o fogo do inferno durará para sempre, existindo assim um tormento eterno. Vejamos cuidadosamente os textos nos quais Deus descreve o tratamento do pecado e dos pecadores.

“Ele punirá os que não conhecem a Deus e os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus. Eles SOFRERÃO A PENA DE DESTRUIÇÃO ETERNA, a separação da presença do Senhor e da majestade de Seu poder”. II Tessalonicenses 1:8

Note que “destruição eterna” não é a mesma coisa que “tormento eterno”. Significa simplesmente que será uma destruição de conseqüências eternas. O efeito é a morte eterna. Pedro falou do dia do julgamento e da “destruição dos ímpios” (II Pedro 3:7).

De acordo com Jesus, tanto a “alma quanto o corpo” são destruídas no inferno (Mateus 10:28).

Em Seu Sermão da Montanha, Jesus falou da porta estreita “que leva à vida”, e a porta larga “que leva à destruição” (Mateus 7:13, 14). Em João 3:16, Jesus explica que Deus “deu Seu Filho Unigênito” para que todo o que crê não “pereça, mas tenha a vida eterna”. Jesus contrasta os dois resultados: a morte eterna ou a morte – não ficar queimando para sempre. Devemos concluir que o inferno definitivamente tem um término; ele resulta em morte e destruição dos ímpios.

Claras afirmações por toda a Bíblia nos dizem que os ímpios serão destruídos. “A descendência dos ímpios será eliminada” (Salmo 37:28); eles “serão destruídos” (II Pedro 2:12); “desvanecerão como a fumaça” (Salmo 37:20). O fogo reduzir-lhes-á a cinzas (Malaquias 4:1-3). “O salário do pecado é a morte”, não vida eterna no lago de fogo; “o dom gratuito de Deus é a vida eterna” (Romanos 6:23).

O propósito da punição final do fogo do inferno é para eliminar o pecado do universo, não para preservar o pecado para sempre. É extremamente difícil imaginar que o mesmo Cristo que chorou por causa do destino da teimosia de Jerusalém e que perdoou aqueles que O mataram, seria capaz de passar a eternidade inteira observando a agonia dos perdidos.

clip_image005O inferno tem um final. Ao final dos mil anos, Deus fará chover fogo do céu para eliminar o Diabo, seus anjos, e os ímpios que persistirem em se apegar a seus pecados. “Fogo” desce “do céu” e os devora (Apocalipse 20:9).

De acordo com Jesus, esse fogo “nunca se apaga”. Ou seja, nenhum corpo de bombeiros será capaz de apagá-lo, até que tudo tenha sido destruído e purificado.

Deus promete que, depois desse fogo purificador, Ele irá criar “uma nova terra”, na qual “as aflições passadas serão esquecidas”; e “nunca mais se ouvirão nela voz de pranto e choro de tristeza”. (Isaías 65:16-19).

Que dia será aquele! Toda a causa de sofrimento será extirpada. Deus apagará as marcas do pecado de cada coração, e nossa felicidade será completa.

4. “PARA SEMPRE” NAS ESCRITURAS

Em Mateus 25:41, Jesus fala do “fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos”. Será que “eterno” aqui quer dizer para sempre? Judas 7 apresenta Sodoma e Gomorra, que “estando sob o castigo do fogo eterno, elas servem de exemplo”. Obviamente, aquelas cidades não estão mais queimando. Mas o fogo FOI eterno no sentido que resultou na destruição permanente.

Em II Pedro 2:6, mais uma vez lemos sobre o fogo eterno. Mas essa passagem também aponta claramente que Deus “condenou as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinzas, tornando-as exemplo do que acontecerá aos ímpios”. Os ímpios de Sodoma e Gomorra não permanecem em agonia; eles foram reduzidos a cinzas desde muito tempo atrás. E ainda assim, o fogo caiu sobre eles é “eterno” em suas conseqüências: destruição permanente. Eterno aqui significa castigo eterno, não castigar eternamente.

clip_image006Apocalipse usa uma linguagem tão vívida e simbólica que algumas de suas passagens têm sido mal entendidas. Por exemplo, Apocalipse 14:11 ao falar dos perdidos, diz que “a fumaça do tormento de tais pessoas sobe para todo o sempre”. Isso parece um sofrimento sem fim. Mas, novamente, deixemos que a própria Escritura interprete a Escritura.

Êxodo 21:6, na versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição, fala de um servo que teria sua orelha furada como sinal de que serviria seu mestre “para sempre”. Nesse caso, “para sempre” seria enquanto durasse a vida do servo. Jonas, que passou apenas três dias e três noites no estômago de um grande peixe (Mateus 12:40), relata que ele esteve ali “para sempre” (Jonas 2:6). Sem dúvida, três dias numa densa escuridão pode ter parecido uma eternidade.

Por isso, devemos ser cuidadosos em entender como e quando a Escritura usa linguagem poética e simbólica. O fogo que sobe para sempre do lago de fogo é uma maneira vívida de expressar destruição eterna. Apocalipse 21:8 nos fala mais claramente que o lago e o mar de fogo “é a segunda morte”. O inferno tem um ponto final. Os ímpios serão consumidos; serão destruídos.

5. POR QUE É NECESSÁRIO HAVER UM INFERNO?

clip_image007No princípio, Deus criou um mundo perfeito. Mas o pecado apareceu e trouxe muitos desastres, decadência e morte. Se você ao voltar para casa certa tarde a encontrasse toda saqueada e destruída, você a deixaria assim para sempre? Claro que não. Você varreria a poeira e a sujeira, limparia o lugar de cima a baixo, e jogaria fora todos os móveis arruinados e que não dessem mais para ser consertados. Deus fará a mesma coisa. Ele dará fim aos destroços e poluição causados pelo pecado de uma vez por todas, criando uma nova terra no lugar da antiga. O propósito de Deus para fazer esse mundo purificado pelo fogo é preparar tudo para que haja um mundo perfeito no qual os salvos viverão.

Mas Deus enfrenta um sério problema, pois o pecado não apenas destroçou nosso mundo físico, ele também infetou as pessoas. O pecado danificou nosso relacionamento com Ele e uns com os outros. A humanidade continua a sofrer com os abusos de crianças, o terrorismo, a pornografia, e milhares de outras doenças da alma. Deus algum dia precisará destruir o pecado, pois o pecado está destruindo as pessoas. O dilema de Deus é: como eliminar o vírus mortal do pecado do mundo e ainda assim não destruir todas as pessoas infectadas por ele? Sua solução foi levar o vírus em Seu próprio corpo. Ele permitiu que o câncer do pecado O destruísse na cruz. Como resultado:

“Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e NOS PURIFICAR DE TODA INJUSTIÇA”. I João 1:9.

Deus oferece a solução para o problema do pecado de graça para todos. Mas o fato triste é que alguns insistem em se apegar à doença do pecado. Deus não forçará as pessoas a escolherem o caminho da vida que Ele oferece. Aqueles que rejeitam a solução que Ele oferece serão finalmente consumidos por esse mal. O motivo real do inferno é esse:

“Pois Eu os chamei, e vocês nem responderam; falei, e não me deram ouvidos”. Isaías 65:12

Afastados de Jesus por suas próprias escolhas, os ímpios descobrirão que a única alternativa que lhes resta é a morte eterna.

6. QUAL SERÁ O CUSTO DE PERDER-SE?

Apesar das Escrituras não nos ensinarem que o fogo do inferno resulta num sofrimento sem fim, ela nos dá um vislumbre da terrível experiência que será estar perdido para sempre. Os ímpios irão perder a vida eterna. Que desespero será perceber que a alegria da vida eterna com Deus escorreu por entre os seus dedos; que nunca jamais experimentarão a alegria dos perfeitos relacionamentos de amor por toda a eternidade.

clip_image008Quando Cristo foi crucificado na cruz e tinha os pecados do mundo separando Ele do Pai, Ele deve ter sentido a agonia da perdição eterna. Quando os ímpios olharem para a nulidade das trevas à sua frente, perceberão que só lhes restará a destruição eterna. Eles devem morrer sem esperanças de uma segunda ressurreição. Ao mesmo tempo, eles verão como expulsaram Cristo cada vez mais de sua vida, sempre que Ele tentava se aproximar com sussurros de amor. Ao final, eles cairão de joelhos e reconhecerão a justiça de Deus e o Seu amor (Filipenses 2:10, 11).

Não é de admirar que os escritores bíblicos nos alertassem com urgência para que ponderássemos sobre o peso das nossas escolhas e as reivindicações de Cristo.

“Insistimos com vocês para não receberem em vão a graça de Deus. Pois Ele diz: ‘Eu o ouvi no tempo favorável e o socorri no dia da salvação'”. II Coríntios 6:1, 2

Não posso imaginar outra tragédia pior do que alguém desperdiçar o sacrifício incalculável de Jesus para escolher perder-se. As alternativas que temos diante de nós são bastante claras: destruição eterna: ser excluído eternamente da presença de Deus, ou uma amizade eterna com Cristo que supre nossos anseios mais profundos. Qual será a sua escolha? Por que não descobrir o destino que Deus tem para você agora mesmo?

Lição 22 – Deus é Justo?

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

clip_image001Um menino no centro da cidade é morto enquanto faz sua tarefa escolar na mesa de sua casa por uma bala perdida proveniente de uma guerra de gangues de rua.

Uma jovem mãe na periferia descobre que seu bebê contraiu AIDS por causa de uma transfusão de sangue contaminado.

As tragédias se sucedem em nosso mundo. Ansiamos muito por uma resposta para tudo isso. Onde está Deus num mundo onde o sofrimento e a morte não têm sentido? O salmista nos assegura que “a terra está cheia da bondade do Senhor”. (Salmo 33:5)

Se isso é verdade, por que Ele não acaba com os sofrimentos e as tragédias? O vigésimo capítulo de Apocalipse nos mostra como e quando Deus acabará com o pecado e o sofrimento.

1. A REVELAÇÃO DOS MIL ANOS

clip_image002Apocalipse 20 inicia falando de um período de mil anos que se segue à segunda vinda de Cristo. Os eventos que acontecem nesse período de mil anos são os atos finais do conflito entre Cristo e Satanás, que se iniciou desde que o pecado entrou no universo.

Esse drama começou no céu, quando Lúcifer ficou com ciúme de Cristo, começou uma guerra juntamente com os anjos caídos, foi expulso e veio ao nosso mundo. O drama continuou na terra, no Jardim do Éden, e então por todos os séculos até chegar ao seu clímax quando o Diabo impeliu seres humanos a crucificarem a Cristo (Se você desejar, você pode revisar essa história na Lição 3). O drama alcançará o seu momento final ao término do período de mil anos no qual nosso mundo de pecado será purificado e devolvido ao controle de Cristo. Apocalipse 20 nos mostra que o período de mil anos é compreendido entre duas ressurreições.

Quem Deus ressuscitará na primeira ressurreição que ocorrerá no começo dos mil anos?

“Felizes e santos os que participam da primeira ressurreição! A segunda morte não tem poder sobre eles; serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele durante mil anos”. Apocalipse 20:6 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

Os “felizes e santos” são aqueles que aceitaram a Jesus como Seu Salvador, e ressuscitarão na “primeira ressurreição”. Se os justos “reinarão com” Cristo durante mil anos, eles devem ser ressuscitados antes que os mil anos se iniciem.

Quem será ressuscitado na segunda ressurreição, ao final do período de mil anos?

“O restante dos mortos não voltou a viver até se completarem os mil anos” Apocalipse 20:5

O “restante dos mortos” só pode se referir aos ímpios mortos, pois os justos, “felizes e santos” serão ressuscitados no começo dos mil anos.

Logo, o período de mil anos é limitado por duas ressurreições: a ressurreição dos justos, no começo; e a ressurreição dos ímpios, ao final.

2. RESSUSCITADOS NA VOLTA DE JESUS

A primeira ressurreição, que será a dos justos, ocorre na segunda vinda de Cristo.

clip_image003“Pois… o próprio Senhor descerá dos céus, e OS MORTOS EM CRISTO RESSUSCITARÃO primeiro. Depois NÓS, OS QUE ESTIVERMOS VIVOS, SEREMOS ARREBATADOS COM ELES nas nuvens, para O ENCONTRO COM O SENHOR NOS ARES. E assim, estaremos com o Senhor para sempre”. I Tessalonicenses 4:16, 17

Quando Jesus retornar à terra, Ele ressuscitará “os mortos em Cristo” e os levará, juntamente com os justos que estiverem vivos, para o céu. Por permanecerem apegados ao pecado, os ímpios não poderão viver na presença de Deus, e por isso serão destruídos na volta de Jesus (Lucas 17:26-30). (Você pode desejar rever na Lição 8 os eventos que precedem e sucedem a volta de Jesus).

3. SATANÁS SERÁ ACORRENTADO NA TERRA POR MIL ANOS

Quando os mil anos começarem, os justos já terão ido para o céu e os ímpios estarão mortos. O que acontecerá com esse mundo durante os mil anos?

clip_image004“Vi descer dos céus um anjo que trazia na mão a chave do Abismo e uma grande corrente. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo, Satanás, e o acorrentou por mil anos; lançou-o no Abismo, fechou-o e pôs um selo sobre ele, para assim impedi-lo de enganar as nações, até que terminassem os mil anos”. Apocalipse 20:1-3

Na volta de Jesus, Satanás será preso e permanecerá acorrentado durante mil anos. Onde Satanás será preso? No “Abismo”, uma palavra grega que significa “muito fundo” ou “sem fundo”. Em Gênesis 1:2, a versão grega do Velho Testamento usa a palavra “Abismo” para descrever a terra em seu estado não desenvolvido, antes de começarem os dias da criação. Por isso, nossa terra é o abismo no qual Deus aprisionará Satanás.

As Escrituras descrevem que Satanás estará preso por “uma grande corrente”. Será essa uma corrente literal? Não, será simbólica, uma corrente de circunstâncias. Satanás gostaria muito de continuar enganando as pessoas durante os mil anos. Mas ele não encontrará nenhuma pessoa justa para tentar, pois todas elas estarão no céu. E ele não encontrará nenhum ímpio para liderar, pois todos eles estarão mortos, dormindo no pó da terra. Incapaz de enganar ou tentar alguma pessoa, ele fica isolado num mundo vazio e é obrigado a pensar em todos os sofrimentos e tragédias que ele causou.

4. OS JUSTOS JULGAM OS ÍMPIOS

O período de mil anos também é um tempo de julgamento. Mas, lembre-se que o julgamento consiste de quarto estágios principais:

(1) O julgamento pré-advento dos justos, que precede a segunda vida de Cristo.
(2) A recompensa dos justos na Segunda Vinda.
(3) O julgamento dos ímpios durante os mil anos.
(4) A recompensa de Satanás e dos ímpios maus no final do período (Você pode rever a Lição 13 que lida com os estágios 1 e 2 do julgamento, a investigação e recompensa dos justos). Agora veremos os estágios 3 e 4, a investigação e recompensa dos ímpios.

Vimos que os justos ressuscitados e os justos que ficaram vivos serão levados juntos para o céu na segunda vinda de Cristo. Eles ficarão no céu durante mil anos. O que eles estarão fazendo?

“Vocês não sabem que OS SANTOS [salvos] HÃO DE JULGAR O MUNDO?… Vocês não sabem que haveremos de JULGAR OS ANJOS?” I Coríntios 6:2, 3

“VI TRONOS EM QUE SE ASSENTARAM AQUELES A QUEM HAVIA SIDO DADA A AUTORIDADE PARA JULGAR… ELES RESSUSCITARAM E REINARAM COM CRISTO DURANTE MIL ANOS”. Apocalipse 20:4

clip_image005Durante os mil anos, os justos revisarão os casos dos seres humanos ímpios e dos anjos caídos, incluindo seu líder, Satanás. Quão apropriado será para os mártires, os vitoriosos, e os que sofreram pelo evangelho examinar e entender o julgamento dos ímpios feito por Deus.

Deus graciosamente dará aos seres humanos a chance de avaliarem Sua forma de lidar dos ímpios. Poderemos ter muitas perguntas, tais como: “Por que minha tia não está aqui? Ela parecia ser uma ótima pessoa”. Quando analisarmos os registros e julgarmos os mortos “de acordo com o que tinham feito, segundo o que estava registrado nos livros” (verso 12), veremos por nós mesmos que em todas as maneiras de lidar com os seres humanos, Deus tem sido justo e apropriado com todos. Veremos quantas chances foram oferecidas pelo Espírito Santo a cada pessoa, para que eles se voltassem para Deus, e com isso, a justiça de cada sentença se tornará clara para todos.

5. SATANÁS É SOLTO QUANDO TERMINAREM OS MIL ANOS

Ao final dos mil anos, a Bíblia declara:

“Via a Cidade Santa, a nova Jerusalém, que descia dos céus, da parte de Deus, preparada como uma noiva adornada para o seu marido”. Apocalipse 21:2

Essa maravilhosa cidade terá sido nosso lar por mil anos. Agora, a Cidade Santa, com Cristo e todos os que foram salvos por Ele dentro dela, descende do céu a terra.

O que Satanás faz ao final dos mil anos?

“Quando terminarem os mil anos, Satanás será solto de sua prisão e sairá para enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra… a fim de reuni-las para a batalha. Seu número é como a areia do mar. As nações marcharam por toda a superfície da terra e cercaram o acampamento dos santos, a cidade amada”. Apocalipse 20:7-9

clip_image006Os ímpios são ressuscitados ao final dos mil anos (verso 5). Quando os justos descem dos céus na Cidade Santa, e os ímpios são ressuscitados, Satanás será “solto por um pouco de tempo” (20:3). Ele novamente pode dirigir os ímpios e tem como alvo os justos. Sem perder nenhum tempo, Ele imediatamente começa a organizar os ímpios num vasto exército. Satanás dá a ordem para marcharem contra a cidade. Quando os ímpios tomarem posição ao redor da Nova Jerusalém (verso 9), eles obtém um lampejo do horror de estar perdido – perdido para sempre.

6. A CENA DO JULGAMENTO FINAL

Aqui, pela primeira vez, toda a raça humana se reúne num mesmo local. Jesus à frente dos filhos de Deus redimidos que estão dentro da cidade. Satanás encabeçando a multidão dos ímpios do lado de fora dos muros. Nesse momento crítico, Deus dirige o último momento do julgamento, e os ímpios recebem sua sentença naquele dia.

clip_image007“Depois vi um grande trono branco e aquele que nele estava assentado… Vi também os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono, e… os mortos foram julgados de acordo com o que tinham feito, segundo o que estava registrado nos livros”. Apocalipse 20:11, 12

Enquanto os ímpios se colocam diante do trono de justiça, a sua vida se desenrola diante deles. Dos registros contidos no céu, Jesus, o justo Juiz, formalmente apresenta toda a história da maneira usada por Ele para lidar com os homens, mulheres e anjos caídos.

Todo o universo observa com intenso interesse. Em pé, diante do trono de Deus, Jesus dá a todos uma visão abrangente de Seu trabalho redentor. Ele mostra que veio para buscar e salvar o perdido. Ele entrou em nosso mundo ao se tornar carne humana, viveu sem pecado apesar das lutas e tentações, fez o sacrifício final na cruz, e serve como nosso Sacerdote no céu. Finalmente, quando Cristo, com pesar, der um passo adiante e pronunciar a sentença daqueles que persistiram em rejeitar Sua graça, cada ser humano no universo reconhecerá a justiça e a necessidade desse ato final de julgamento divino.
“Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus. Porque está escrito: ‘Por mim mesmo jurei, diz o Senhor, diante de mim todo joelho se dobrará e toda língua confessará que sou Deus'”. Romanos 14:10, 11

“Cristo Jesus… foi obediente até a morte, e morte de cruz!… Para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra… e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai”. Filipenses 2:5-11

Desde que apareceu o pecado, o Diabo tem estado a desafiar o caráter de Deus, acusando-O de ser injusto. Naquele momento, todas as perguntas terão sido respondidas, todas as perplexidades terão sido resolvidas. Naquele momento, todo o universo reconhece que Jesus, o Cordeiro de Deus, é digno de nosso amor e adoração. Todo o plano e o propósito de Deus é revelado, e o caráter de Deus é vindicado para sempre!
Não apenas os salvos, mas também os anjos maus e até mesmo o próprio Satanás confessarão que a maneira de Satanás foi errada e que os caminhos de Deus são justos e verdadeiros. Todos irão ver que o mal e o egoísmo levaram apenas à infelicidade e descontentamento, e que não vale a pena continuar com isso.

7. O PECADO CHEGA AO SEU FINAL

Apesar de Satanás e a vasta multidão de pessoas ímpias admitirem que os caminhos de Deus são justos, seus corações não são transformados, seu caráter permanece mau. E, depois que o julgamento é pronunciado:

“As nações marcharam por toda a superfície da terra e cercaram o acampamento dos santos, a cidade amada; mas um fogo desceu do céu e as devorou. O Diabo, que as enganava, foi lançado no lago de fogo que arde com enxofre… Então a morte e o Hades foram lançados no lago de fogo. O lago de fogo é a segunda morte. Aqueles cujos nomes não foram encontrados no livro da vida foram lançados no lago de fogo”. Apocalipse 20:9-15

clip_image008Nesse julgamento final, o fogo do Deus eterno destruirá o pecado e aqueles que obstinadamente se apegaram a ele. Satanás e todos os perdidos perecerão nessa “segunda morte”, uma morte eterna da qual não haverá ressurreição. O curso da sua rebelião deixou os ímpios despreparados para a verdadeira felicidade, e eles são destruídos com o Diabo e seus anjos. O fogo celestial purifica completamente a terra das maldições do pecado; e finalmente Deus tem um universo purificado e que nunca mais será manchado pelo mal. A luta épica entre o bem e o mal, entre Cristo e Satanás, finalmente estará terminada, e Cristo reinará. As cortinas se fecharão para o antigo drama do pecado e se abrirão para a glória de um novo mundo com possibilidades ilimitadas.

8. A TERRA SERÁ PURIFICADA E RENOVADA

Das cinzas desse holocausto final e purificador, Deus criará um novo mundo:

“Então vi novos céus e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado… Vi a Cidade Santa, a nova Jerusalém, que descia dos céus, da parte de Deus… ‘Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais Ele viverá. Eles serão os seus povos; o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus. Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza,, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou’… ‘Estou fazendo novas todas as coisas!'”. Apocalipse 21:1-5

clip_image009Restaurada à sua beleza original, a terra se tornará o lar dos redimidos por toda a eternidade. Libertos do egoísmo, da doença, e do sofrimento, teremos o universo inteiro para explorar, relacionamentos maravilhosos para desenvolver, e uma eternidade para nos sentar aos pés de Jesus e ouvir, aprender e desenvolver o amor. (Para uma descrição completa do novo mundo, você pode reler a Lição 9).

Aonde você pretende estar naquele dia? Você já decidiu estar com Cristo dentro da cidade e salvo para sempre? Ou você estará do lado de fora da cidade, sem Cristo e perdido para sempre?

Se você tiver colocado sua vida nas mãos de Jesus, você nunca precisará experimentar o horror indescritível daqueles que estarão do lado de fora da cidade e que perceberão que estarão perdidos para sempre. Não importa como foi a sua vida, se você colocar-se inteiramente nas mãos de Jesus agora mesmo, você pode estar do lado de dentro da cidade com Cristo e os redimidos. Se você ainda não fez isso, entregue seu coração a Jesus nesse momento, e Ele rodeará você com Seu amor e perdão. Essa é sua oportunidade. Esse é o melhor momento para aceitar sua salvação.

Lição 21 – Será que a maioria pode estar errada?

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

clip_image001Na Lição 16 descobrimos que experimentar o descanso sabático é um antídoto importante para a vida estressante atual. Já que Deus entende cada uma das nossas necessidades, Ele estabeleceu o sétimo dia para nosso descanso físico e renovação espiritual. Depois de criar nosso mundo em seis dias, Ele “descansou” no sétimo dia, “abençoou” e “o santificou” (Gênesis 2:1-3).

Quando Deus deu os Dez Mandamentos para Seu povo, Israel, Ele colocou o mandamento de observar o sétimo dia, o Sábado, no coração da Sua lei (Êxodo 20:8-11). De acordo com esse mandamento, o sábado é um memorial do poder criativo de Deus, um dia para pararmos e pensarmos sobre as belezas e maravilhas de Suas obras criadas, um dia para relaxar e nos aproximar de nosso Criador, um dia para explorar num nível mais profundo nosso relacionamento com Ele.

Durante a vida humana de Jesus aqui na terra, Ele também guardou o sábado (Lucas 4:16) e reafirmou-o como um dia que beneficia os cristãos (Marcos 2:27, 28). Vários textos no livro de Atos mostram que os discípulos de Cristo adoravam no sábado depois de Sua ressurreição (Atos 13:14; 16:13; 17:2; 18:1-4, 11).

1. UMA PERGUNTA INTRIGANTE

Isso nos leva a um tema que muitos acham intrigante. O mundo cristão tem estado a observar dois dias diferentes. De um lado, a maioria dos cristãos observa com sinceridade o domingo, o primeiro dia da semana, que crêem ser um memorial da ressurreição de Cristo. De outro lado, um grande grupo de cristãos, igualmente sinceros, crêem que a Bíblia honra apenas o sétimo dia como o sábado do Senhor, e que não há em nenhum outro lugar na Bíblia qualquer indicação da santidade do domingo.

Será que realmente faz alguma diferença qual o dia que separamos para o descanso sabático? Como pessoas sinceras e honestas que desejam conhecer a verdade, precisamos sempre nos perguntar: “O que importa para Jesus? O que Jesus deseja que eu faça?”.

Para chegar a uma decisão sobre isso, muitos fatos importantes precisam ser esclarecidos: Quem mudou o descanso sabático do sábado, o sétimo dia da semana, para o domingo, o primeiro dia da semana? Será que a Bíblia autoriza essa mudança? Se sim, será que Deus, Cristo, ou talvez os apóstolos fizeram essa mudança?

Vamos proceder mediante a análise de todas as possibilidades.

2. SERÁ QUE DEUS MUDOU O SÁBADO?

clip_image002Há algum tipo de pronunciamento de Deus que muda a adoração do sábado para o primeiro dia da semana?

A maioria dos cristãos aceita os Dez Mandamentos como um guia válido para a vida. Eles são a única mensagem que Deus escreveu em toda a história da raça humana. Eles são tão importantes que Ele os escreveu em pedra com Seu próprio dedo (Êxodo 31:18).

No quarto mandamento, Deus nos instrui:

“Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo. Trabalharás seis dias e neles farás todos os teus trabalhos, MAS O SÉTIMO DIA É O SÁBADO DEDICADO AO SENHOR, O TEU DEUS. Nesse dia não farás trabalho algum… Pois em seis dias o Senhor fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe, mas no sétimo dia DESCANSOU. Portanto, o Senhor ABENÇOOU o sétimo dia e o SANTIFICOU”. Êxodo 20:8-11 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

Quando Deus deu os Dez Mandamentos a Seu povo, Ele também deixou claro que nenhum ser humano deveria revisar ou editar qualquer instrução dada por Seus lábios.

“NADA ACRESCENTEM às palavras que eu lhes ordeno e delas NADA RETIREM, mas obedeçam aos mandamentos do Senhor, o Seu Deus, que eu lhes ordeno”. Deuteronômio 4:2

O próprio Deus promete não alterar Seus mandamentos:

“NÃO violarei a minha aliança NEM MODIFICAREI AS PROMESSAS DOS MEUS LÁBIOS”. Salmo 89:34

A Bíblia é clara em afirmar que Deus não mudou o descanso sabático do sétimo para o primeiro dia da semana.

3. SERÁ QUE JESUS MUDOU O SÁBADO?

De acordo com Jesus, os Dez Mandamentos não eram suscetíveis a mudanças:

clip_image003“Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir. Digo-lhes a verdade: Enquanto existirem céus e terra, de forma alguma desaparecerá da Lei a menor letra ou o menor traço, até que tudo se cumpra”. Mateus 5:17, 18.

Na Lição 16, descobrimos que Jesus tinha o costume de adorar na sinagoga aos sábados (Lucas 4:16). Também descobrimos que Jesus desejava que Seus discípulos continuassem e experimentar a alegria da verdadeira guarda do sábado (Mateus 24:20).

Não há dúvidas pelos ensinos de Jesus e o Seu exemplo que ainda precisamos do descanso sabático para descansar, relaxar e passar tempo com Deus.

4. SERÁ QUE OS APÓSTOLOS MUDARAM O SÁBADO?

Tiago, o primeiro líder da igreja cristã primitiva, escreveu o seguinte sobre os Dez Mandamentos:

clip_image004“Pois quem obedece a toda Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente. Pois aquele que disse: ‘Não adulterarás’, também disse: ‘Não matarás’. Se você não comete adultério, mas comete assassinato, torna-se transgressor da Lei”. Tiago 2:10, 11

Lucas, o médico e evangelista da igreja primitiva, relata:
“No sábado, saímos da cidade e fomos para a beira do rio, onde esperávamos encontrar um lugar de oração. Sentamo-nos e começamos a conversar com as mulheres que haviam se reunido ali”. Atos 16:13

O livro de Atos no Novo Testamento menciona 84 vezes que o sábado era observado pelos seguidores de Cristo, todos abrangendo um período de 14 anos depois da ressurreição de Jesus: 2 sábados em Antioquia (Atos 13:14, 42, 44); 1 em Filipos (Atos 16:13); 3 em Tessalônica (Atos 17:2, 3); 78 sábados em Corinto (Atos 18:4, 11).

João, o último dos doze apóstolos a morrer, guardou o sábado. Ele escreveu:

“No dia do Senhor achei-me no Espírito”. Apocalipse 1:10

De acordo com Jesus, o dia do Senhor é o sábado:

“Pois o Filho do Homem é Senhor do sábado”. Mateus 12:8

Uma pesquisa das evidências na Escritura revela que os apóstolos não fizeram nenhuma tentativa de mudar o dia de descanso de Deus do sétimo para o primeiro dia da semana. O Novo Testamento menciona o primeiro dia da semana oito vezes. Em nenhuma delas o primeiro dia da semana é chamado de dia santo, nem apresenta qualquer indicação de que deveria ser separado como um dia de adoração. Um exame crítico dos oito textos que mencionam o primeiro dia da semana mostra os seguintes eventos que ocorreram no domingo:

(1) As mulheres visitaram o túmulo de Jesus no primeiro dia (Mateus 28:1)

(2) “Quando terminou o sábado”, mulheres voltaram a fazer suas atividades seculares no primeiro dia da semana (Marcos 16:1, 2).

(3) Jesus apareceu primeiro a Maria Madalena na madrugada do primeiro dia da semana (Marcos 16:9).

(4) Os seguidores de Jesus voltaram às suas atividades seculares no primeiro dia da semana (Lucas 24:1).

(5) Maria foi ao túmulo de Jesus e o encontrou vazio no primeiro dia da semana (João 20:1).

(6) Os discípulos se reuniram “por medo dos judeus” (não para adoração) no primeiro dia da semana (João 20:19).

(7) Paulo pediu aos membros da igreja para consultarem suas economias no primeiro dia da semana e, de acordo com sua renda, separarem “uma quantia” para enviar aos pobres em Jerusalém (I Coríntios 16:1, 2). A passagem não menciona qualquer indício de encontro religioso.

(8) Em Atos 20:7, Lucas fala de uma pregação de Paulo feita no primeiro dia da semana num encontro casual de despedida. Além disso, Paulo pregava todos os dias, e os apóstolos repartiam o pão diariamente (Atos 2:46).

clip_image005Nenhuma dessas passagens da escritura sugere que os apóstolos pretendiam cessar a observação do sábado. Os apóstolos não mencionaram nenhuma mudança do descanso sabático do sétimo para o primeiro dia da semana. Não há nenhuma evidência clara no Novo Testamento de que tenha havido essa mudança. A mudança ocorreu muito tempo depois de Jesus e dos apóstolos, por isso precisamos nos voltar para a história para vermos quando e como a mudança ocorreu.
5. DE ONDE VEIO O DOMINGO?

Os apóstolos alertaram que alguns cristãos se afastariam das doutrinas do cristianismo do Novo Testamento: “Por isso, vigiem!” (Atos 20:29-31). E foi exatamente isso que aconteceu. Historiadores conceituados registram claramente como os cristãos começaram se afastar da pureza apostólica. As tradições e as doutrinas que Paulo, Pedro e os outros fundadores da igreja cristã nunca tinham aceitado foram gradualmente sendo incorporadas à igreja.

A mudança da observância do sábado para o domingo ocorreu depois que o Novo Testamento já tinha sido completado e que todos os apóstolos já tinham morrido. A história registra que os cristãos eventualmente mudaram a adoração e o descanso do sétimo para o primeiro dia da semana. É claro que os crentes não deixaram de guardar o sábado de um dia para o outro. A ocorrência autêntica mais primitiva da observância do domingo por cristãos ocorreu na Itália, no meio do segundo século depois de Cristo. Por muito tempo depois disso, muitos cristãos guardavam os dois dias, enquanto outros ainda descansavam apenas no sábado.

clip_image006No dia 7 de março de 321 AD, Constantino o Grande promulgou a primeira lei civil acerca do domingo, ordenando que todas as pessoas do império romano, exceto os fazendeiros, deveriam descansar no domingo. Isso, juntamente com cinco outras leis decretadas por Constantino tratando do domingo, estabeleceram um precedente legal para todas as legislações civis relativas ao domingo que existem até nossos dias atuais. No quarto século, o Concílio de Laodicéia proibiu os cristãos de se absterem de trabalhar no sábado, enquanto instava para que eles honrassem o domingo evitando trabalhar nesse dia sempre que possível.

A história mostra que a adoração e a observância do domingo é um costume estabelecido pelo homem. A Bíblia não nos dá autoridade para trocarmos a observância do quarto mandamento, o sábado. O profeta Daniel predisse que durante a era cristã, um poder de engano tentaria mudar a lei de Deus (Daniel 7:25).

6. QUEM FEZ A MUDANÇA?

Quem oficialmente mudou o dia de descanso do sétimo dia para o primeiro dia da semana? A Igreja Católica afirma ter feito isso. Numa tentativa de salvar o decadente império romano, líderes da igreja bem intencionados se comprometeram e tentaram mudar o dia de adoração do sábado para o domingo.

clip_image007Um catecismo da Igreja Católica Romana diz:

“P. Qual é o dia de descanso?
R. O sábado é o dia de descanso.
P. Por que guardamos o domingo e não o sábado?
R. Guardamos o domingo ao invés do sábado porque a Igreja Católica… transferiu a solenidade do sábado para o domingo”. Peter Geiermann, The Convert Catechism of Catholic Doctrine (Edição de 1957), pág. 50 [tradução livre].

A Igreja Católica orgulhosamente proclama que os líderes humanos da igreja fizeram a mudança.

“O dia santo foi mudado do sábado para o domingo… não em virtude de qualquer instrução dada pelas Escrituras, mas por causa do sentimento de poder da própria igreja… As pessoas que pensam que as escrituras deveriam ser a única autoridade, deveriam logicamente se tornar Adventistas do Sétimo Dia, e santificar o sábado”. Cardeal Maida, Arcebispo de Detroit, EUA, St. Catherine Catholic Church Sentinel, Algonac, Michigan, EUA, 21 de maio de 1995 [tradução livre].

7. O QUE ALGUMAS IGREJAS PROTESTANTES DIZEM?

Os documentos oficiais que resumem as crenças de várias denominações protestantes concordam que a Bíblia não oferece nenhum tipo de ocorrência que legalize a observância do domingo.

Martinho Lutero, o fundador da Igreja Luterana, escreveu na Confissão de Augsburg, Artigo 28, parágrafo 9:
“Eles [os Católicos Romanos] alegam que o sábado foi mudado para o domingo, o dia do Senhor, que é contrário ao decálogo [os Dez Mandamentos],… nem há qualquer exemplo maior de prepotência do que essa mudança do dia de descanso. Com isso, eles dizem que grande é o poder e a autoridade da igreja, pois ela dispensou um dos dez mandamentos”. [tradução livre]

Os teólogos metodistas Amós Binney e Daniel Steele observaram:
“É verdade, não há nenhuma ordem bíblica que assevere o batismo de crianças… nem que seja santificado o primeiro dia da semana”. Theological Compend (Nova Iorque: Methodist Book Concern, 1902), págs. 180, 181. [tradução livre].

O Dr. N. Summerbell, historiador dos discípulos de Cristo e da igreja cristã escreveu:
“A igreja Romana havia se apostatado totalmente… Ela alterou o Quarto Mandamento, trocando o descanso do sábado ordenado na Palavra de Deus, e instituindo o domingo como dia santo”. A True History of the Christian and the Christian Church, págs. 417, 418 [tradução livre].

8. NA VERDADE, QUAL É O PROBLEMA?

Isso nos leva a encarar as perguntas: Por que tantos cristãos guardam o domingo sem a autoridade bíblica? E mais importante ainda: Que dia devemos guardar? Será que não deveríamos seguir os que dizem: “Eu não acho que faça diferença qual o dia devo guardar, contanto que separe um dia dentre os sete?” Ou, será que deveríamos dar importância ao dia que Jesus, nosso Criador, estabeleceu quando criou nosso mundo, e o dia que Deus apontou nos Dez Mandamentos: “O sétimo dia, o sábado?”

clip_image008Aqui estamos nós, lidando com mais do que simplesmente uma observância exterior. Estamos tratando de qual o dia correto que foi estabelecido por Deus segundo a Bíblia. O tema essencial de tudo isso é a obediência a Jesus. Nosso Criador separou o sábado como um dia santo, como um tempo no qual nós e nossas famílias pudéssemos nos aproximar dEle para recebermos forças e renovar a nossa vida. A quem devemos obedecer? Devo obedecer a Cristo, o Filho de Deus, ou à tradição humana com respeito a qual dia devo santificar? A escolha está clara: os ensinos dos homens ou os mandamentos de Deus; a palavra dos homens ou a Palavra de Deus; uma substituição humana ou um mandamento divino?

O profeta Daniel manda um aviso àqueles que tentam “mudar os tempos e as leis” (Daniel 7:25, NVI) [“cuidará em mudar os tempos e a lei” (Daniel 7:25, Versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição)]. Deus está chamando seu povo de volta à obediência. Ele os convida a guardarem o sábado como um símbolo de lealdade e amor a Ele.

Jesus disse: “Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos”. (João 14:15). E Ele promete completa alegria para aqueles que O amam a ponto de obedecer a Seus mandamentos (João 15:9-11). Temos um maravilhoso Salvador. Ele está ansioso para que nós experimentemos Seu amor em sua totalidade. Um coração desejoso de obedecer abre completamente as portas para esse amor.

No Jardim do Getsêmani, Cristo se submeteu completamente à vontade do Pai – mesmo que tivesse de enfrentar a cruz e que os pecados do mundo fossem acabar com Sua vida. Quando gritou a Deus: “Afasta de mim este cálice”, Ele continuou colocando a vontade de Deus acima da sua própria, e acrescentou: “contudo, não seja o que eu quero, mas sim o que tu queres” (Marcos 14:36).

Cristo almeja que experimentemos a plenitude que acompanha uma vida verdadeiramente submetida a Deus. Ele também deseja que experimentemos o descanso do sábado. Deseja que confiemos nEle o suficiente para que possamos obedecê-lO em cada detalhe de nossa vida. Se você responder ao chamado de Deus e obedecer a todos os Seus mandamentos, você irá experimentar a promessa de Jesus de que a “alegria” que Ele dá estará em nós, e a nossa alegria será completa (João 15:11).

Lição 20 – A Igreja de Cristo.

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

No começo da década de 1960, o irmão André, um homem proveniente da Holanda, contrabandeou um grande número de Bíblias para dentro da Romênia, quando essa ainda era dominada pelo comunismo. Ele chegou a um hotel e começou a orar para que Deus o guiasse a fim de encontrar os grupos certos de cristãos, aqueles que poderiam fazer melhor uso de suas cópias das Escrituras.

Naquele final de semana, André se dirigiu ao recepcionista do hotel e perguntou onde ele poderia encontrar uma igreja.

O recepcionista olhou para ele de maneira um pouco estranha e respondeu: “Sabe, não temos muitas dessas por aqui. Além disso, acho que você não entenderia o idioma”.

“Você não sabe?”, respondeu André. “Os cristãos falam um tipo de linguagem universal”.

“Sério? Qual é?”.

“Ela é denominada Ágape”.

O recepcionista nunca tinha ouvido falar disso, mas André o assegurou: “Essa é a língua mais maravilhosa do mundo”.

clip_image001André foi capaz de localizar várias congregações e igrejas naquela área e conseguiu arrumar um encontro com o presidente e o secretário de determinada denominação. Infelizmente, apesar de tanto André quanto os homens conhecerem vários idiomas europeus, eles não encontraram nenhum em comum. Por isso, eles se sentaram um de frente ao outro. André tinha viajado por muitos quilômetros e passado por muitos perigos com sua preciosa carga, mas não havia jeito de saber se esses homens eram cristãos genuínos ou se eram informantes do governo.

Finalmente, ele viu uma Bíblia romena sobre uma escrivaninha no escritório. André pegou em seu bolso uma Bíblia em holandês. Ele abriu-a em I Coríntios 16:20 e apontou para o nome do livro, para que eles pudessem reconhecer. Instantaneamente, seus rostos se iluminaram. Eles rapidamente encontraram o mesmo capítulo e verso em suas Bíblias romenas e leram:

“Todos os irmãos daqui lhes enviam saudações. Saúdem uns aos outros com beijo santo”.

Um homem se colocou atrás de André. Um deles abriu a Bíblia em Provérbios 25:25. André encontrou o verso e leu: “Como água fresca para a garganta sedenta é a boa notícia que chega de uma terra distante”.

Esses homens passaram meia hora conversando e se congratulando – usando apenas as palavras das Escrituras. Eles estavam tão felizes por terem cruzado as fronteiras culturais e terem conseguido criar laços fraternos que riram até lágrimas escorrerem de seus olhos.

André sabia que havia encontrado seus irmãos. Quando ele lhes mostrou a carga de Bíblias, os romenos ficaram radiantes e o abraçaram várias vezes.

Naquela noite, no hotel, o recepcionista se aproximou de André e comentou: “Veja só, eu procurei a palavra ‘ágape’ no dicionário. Não há nenhum idioma com esse nome. Essa apenas é a palavra grega para o termo amor”.

André replicou: “Exatamente. Estive usando esse idioma a tarde inteira”.

Você já descobriu esse maravilhoso idioma? Nessa Lição você vai aprender sobre como Deus pode incluir a todos num grande círculo de amor.
1. A IGREJA FOI CRIADA PARA A COMUNHÃO

Jesus estabeleceu a igreja a fim de suprir a demanda básica do ser humano de ter cuidado e apoio. Todos temos necessidades. E é para isso que existe a igreja. Ela é um lugar aonde vamos para encontrar companheirismo e ajudar uns aos outros. As Escrituras nos relevam uma igreja apostólica dinâmica que convidava homens e mulheres a participarem de um companheirismo alegre que se estendia até o Todo-Poderoso Deus:

“Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham COMUNHÃO CONOSCO. NOSSA COMUNHÃO É COM O PAI E COM SEU FILHO Jesus Cristo. Escrevemos estas coisas para que a nossa alegria seja completa”. I João 1:3, 4 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

Uma comunidade que tem os corações unidos pelo contato com Jesus e uns com os outros, experimenta a “alegria” completa! Todos falam o mesmo idioma, o idioma do amor.

Os cristãos se tornam parte de uma família maior. Eles se tornam irmãos e irmãs em Cristo já que todos têm o mesmo espírito. Quanto maior a unidade dos crentes, mais fortes são os laços que unem os cristãos.

Os membros das igrejas fundadas pelos apóstolos de Jesus eram unidos por terem a mesma crença, por seu amor por Deus, e por seu desejo de serví-lO e partilhar Sua graça com o mundo. Esse laço íntimo de comunhão era uma das razões porque essa minoria impotente e perseguida virou o mundo de pernas para o ar.

2. A IGREJA ESTABELECIDA POR CRISTO

Será que Cristo teve uma igreja, ou a idéia de uma organização religiosa é apenas uma invenção humana? Jesus responde:

“Sobre esta PEDRA edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la”. Mateus 16:18

clip_image002Jesus é a Rocha segura, a Pedra Angular, de Sua igreja.

Qual foi o grupo que participou da fundação da igreja?

“Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus Cristo como pedra angular”. Efésios 2:20

O que o Senhor fazia quando o evangelho era pregado?

“Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos”. Atos 2:47, Versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição.

Quando Jesus fundou a igreja, Ele prometeu que as portas do inferno não poderiam vencê-la (Mateus 16:18), e a igreja cristã sobrevive até hoje. Ela já teve inimigos extremamente poderosos – desde imperadores romanos até ditadores comunistas – mas o sangue dos mártires apenas fez com que ela crescesse com mais força. Quando um cristão era queimado na fogueira ou jogado aos leões, vários outros grupos surgiam para tomar o lugar deixado por ele/ela. Os céticos já fizeram tudo o que podiam para, racionalmente, acabar com a igreja cristã. Mas a verdade cristã é muito mais eloqüente do que qualquer era científica ou secular.

Um dos maiores desafios da igreja apareceu pouco tempo depois de sua aceitação como religião oficial do Império Romano. A igreja cresceu em prosperidade, e com o tempo se corrompeu. Ela pareceu estar espiritualmente morta na Idade das Trevas. No entanto, o Senhor sempre preservou um núcleo de cristãos corajosos e fiéis que, diante de tempos difíceis e sofridos, brilhou como estrelas numa noite escura.

Paulo compara a relação de Cristo com Sua igreja como um relacionamento amável e protetor de um marido para com sua esposa (Efésios 5:23-25). A igreja é uma família, e cada membro precisa estabelecer relações com os outros membros da família e contribuir para o seu bem estar (Efésios 2:19).

Paulo também apresenta a igreja como o corpo vivo, com o próprio Cristo sendo a cabeça (Colossenses 1:18).

Quando somos batizados, testemunhamos de nossa fé em Jesus e nos tornamos membros do “corpo” da igreja.

“Pois EM UM SÓ CORPO todos nós fomos BATIZADOS”. I Coríntios 12:13

O livro de Apocalipse retrata o Cristo ressurrecto andando pelas igrejas, mostrando Seu cuidado por elas (Apocalipse 1:20, 12, 13). Cristo nunca se esqueceu de Seu povo, e Ele nunca fará isso.

3. UMA IGREJA COM UM PROPÓSITO

A freqüência à igreja é vital para um cristão. Precisamos apoiar os outros para manter nossa fé viva e crescendo.

clip_image003A igreja também exerce três outros papéis importantes:

(1) A IGREJA É A GUARDIÃ DA VERDADE
Como “coluna e fundamento da verdade” (I Timóteo 3:15), a igreja apresenta e defende a verdade de Deus ao mundo. Precisamos da sabedoria coletiva dos outros membros para que possamos nos concentrar nas verdades essenciais das Escrituras.

(2) A IGREJA É UM EXEMPLO DO QUE A GRAÇA DE DEUS PODE FAZER PELOS PECADORES. As mudanças que Cristo tem feito na vida dos crentes testemunham de que Deus nos chamou para “Sua maravilhosa luz”. (I Pedro 2:9).

(3) O POVO DE DEUS DÁ TESTEMUNHO A UM MUNDO CARENTE. Pouco antes de voltar ao céu, Jesus prometeu a Seus discípulos:

“Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda Judéia e Samaria, e até os confins da terra”. Atos 1:8

É um grande privilégio para a igreja levar a mensagem do imenso amor de Deus a todo o mundo.

4. FORÇA ATRAVÉS DA ORGANIZAÇÃO

clip_image004A igreja que Cristo estabeleceu tem uma organização definida. Alguém pode ser incluído ou excluído de seu rol de membros (Mateus 18:15-18). A igreja de Deus escolhia líderes e tinha um quartel general mundial, bem como lugares de reunião locais (Atos 8:14; 14:23; 15:2; I Timóteo 3:1-13). Quando eram batizados, os crentes se uniam num grupo organizado (Atos 2:41 e 47).

A igreja existe para encorajamento mútuo.

“E consideremos uns aos outros para nos incentivarmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas PROCUREMOS ENCORAJAR-NOS UNS AOS OUTROS, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia”. Hebreus 10:24, 25

Isso é, em resumo, o que um grupo saudável da igreja faz. Seus membros se edificam em fé, e encorajam uns aos outros. Deus organizou Sua igreja para fortalecer o povo de Deus e também servir ao mundo. Podemos fazer muito mais juntos do que conseguimos quando agimos individualmente. Vejamos apenas um exemplo: a Igreja Adventista do Sétimo Dia. Desenvolvemos uma grande obra médica ao redor do mundo – desde ambulatórios móveis na periferia das cidades até clínicas em ilhas remotas do Pacífico Sul. Nossas instituições educacionais têm levado milhares e milhares de jovens a conhecer uma vida melhor em Cristo – desde a Universidade de Loma Linda, nos Estados Unidos, que foi pioneira nos transplantes de coração no mundo, até pequenas escolas missionárias espalhadas pelo interior da África. Atuamos para aliviar a fome e os desastres através da nossa agência de recursos ADRA. As igrejas locais ajudam a distribuir roupas e alimentar os pobres e os sem teto em milhares de Centros Comunitários de Serviço. E grupos de crentes adventistas estão partilhando a mensagem da salvação em mais de 200 países. Apenas um grupo organizado de cristãos dedicados poderia causar esse tremendo impacto a nível mundial.

Cristo e os apóstolos compararam a igreja a um corpo, e ressaltaram que todas as partes do corpo são necessárias (I Coríntios 12:21-28). Todas as partes do corpo não são exatamente iguais, ainda assim, todas são importantes e devem trabalhar juntas em harmonia. Um olho separado do corpo não pode ver. Uma mão decepada não tem valor. Seja um olho, uma mão ou apenas um dedo, não podemos ser totalmente eficientes para Cristo sozinhos. Pertencer a uma igreja, estar unido a um corpo de membros, nos fortalece como cristãos.

5. A ALEGRIA DA ADORAÇÃO

Lá no fundo de nossos corações existe um desejo de adorar a Deus, e essa necessidade pode desaparecer se não for expressa. Como o salmista se sentia quando pensava sobre ir ao lugar de adoração?

“ALEGREI-ME com os que me disseram: ‘Vamos à casa do Senhor'”. Salmo 122:1

Qual o papel que a música tem na adoração pública?

clip_image005“Prestem culto ao Senhor com alegria; entre na Sua presença com cânticos alegres”. Salmo 100:2

A Bíblia nos diz que dar ofertas é uma parte apropriada da adoração divina.

“Entrem nos Seus átrios trazendo ofertas. Adorem o Senhor no esplendor da Sua santidade”. Salmo 96:8, 9

A oração é um aspecto vital da adoração pública.

“Venham! Adoremos prostrados e ajoelhemos diante do Senhor, nosso Criador”. Salmo 95:6

O estudo da Bíblia e a pregação eram o centro da adoração no Novo Testamento. Começando pelo sermão de Pedro no dia do Pentecostes, encontrado em Atos 2, e desde o tempo dos Reformadores Protestantes até os nossos dias, todo reavivamento religioso tem sido fundamentado na pregação bíblica. Por quê? Porque “a Palavra é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes” (Hebreus 4:12, 13).

6. QUAL É O VALOR DA IGREJA?

Alguns objetam que a igreja é cheia de pessoas imperfeitas. O que Henry Ward Beecher disse é verdade: “A igreja não é uma galeria para exibição de cristãos eminentes, mas uma escola para educar os imperfeitos”.

Já que nenhum de nós é perfeito, a igreja também nunca será perfeita. Em uma de Suas parábolas, Jesus nos lembrou que o joio cresce entre o trigo (Mateus 13:24-30). Quando lemos as cartas de Paulo no Novo Testamento, descobrimos que a igreja apostólica tinha problemas críticos. E a igreja hoje freqüentemente tem defeitos sérios. Mas lembre-se que nenhuma congregação cheia de falhas jamais poderá destruir ou perturbar a Grande Pedra Angular da igreja – Jesus Cristo. Assim, mesmo em igrejas imperfeitas, precisamos manter nossa motivação principal no Salvador que ministra a nós. Apesar de todas as nossas faltas, a igreja pertence a Ele, por isso, concentre-se em Cristo.

“CRISTO AMOU A IGREJA E ENTREGOU-SE POR ELA para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável”. Efésios 5:25-27

A igreja é tão importante para Jesus que Ele “entregou-se por ela” ao morrer por cada um de nós individualmente, e pela igreja coletivamente. Por isso, ser membro da igreja deveria ser algo importante para você. Você já é membro do corpo de Cristo?

7. ENCONTRANDO UMA IGREJA

Quantas religiões e crenças verdadeiras Jesus tem no mundo?

“Há um só corpo e um só Espírito… há um só Senhor, UMA SÓ FÉ, um só batismo”. Efésios 4:4, 5

Já que Cristo tem “uma só fé” nesse mundo, como podemos descobrir qual a religião ou crença verdadeira? Jesus nos dá o segredo:

“Se alguém decidir fazer a vontade de Deus, descobrirá se o meu ensino vem de Deus ou se falo por mim mesmo”. João 7:17 (Ver também João 8:31, 32).

clip_image006Quando nos comprometemos em fazer a vontade de Deus, Ele nos ajudará a ver se o ensino vem de Deus ou é apenas tradição humana. O elemento chave para decidir qual igreja freqüentar é examinar seu respeito e submissão à Palavra de Deus. Uma comunhão genuína é construída sobre as verdades das Escrituras, e não apenas ao redor de um líder carismático ou uma grande instituição.

Continue a fazer as descobertas bíblicas nessas lições, ande na luz à medida que ela for sendo revelada a você pela Bíblia, e Deus lhe apresentará claramente qual a Sua vontade para sua vida. Um cristão em crescimento é uma pessoa que abre o coração e a mente para aceitar a verdade como Deus a revela em Sua Palavra.

Lição 19 – Iniciando uma Vida Cristã.

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

Aqui está uma carta surpreendente de um dos representantes de nossa escola bíblica na África:

clip_image001“Cinco anos atrás, recebi um pedido do pessoal da Voz da Profecia para visitar um prisioneiro que era aluno da escola bíblica postal. Eu mostrei o pedido para as autoridades da prisão, que graciosamente me deram a permissão para a visita. Em virtude do desejo profundo daquele homem de estudar a Bíblia, eu o visitava regularmente.

Seis meses depois da minha primeira visita, ele pediu para ser batizado e se unir à igreja. As autoridades concordaram em arranjar as coisas necessárias para que o batismo pudesse ocorrer na prisão. Os carcereiros e outros prisioneiros se ajuntaram para testemunhar um dos mais tocantes batismos que já tive o privilégio de oficiar.

Pouco depois disso, nosso irmão foi libertado da prisão, apesar de ainda ter muito tempo restante para completar a pena. Quando perguntei o motivo, foi me dito que sua vida tinha mudado tão drasticamente, e ele era uma testemunha tão poderosa do seu Salvador e da sua religião que não se conseguia mais vê-lo nem tratá-lo como prisioneiro. Esse homem voltou ao convívio de sua família, e hoje é um líder de uma das nossas congregações no lugar onde mora”.

1. QUAL É O SIGNIFICADO DO BATISMO?

clip_image002Quando esse prisioneiro se tornou um cristão e sua vida mudou completamente, por que foi necessário que ele fosse batizado? Numa conversa com Nicodemos, o líder da comunidade religiosa que foi ver Jesus à noite, Jesus ressaltou para ele a importância e o significado do batismo:

“Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo… se não nascer da água e do Espírito”. João 3:3, 5 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

Portanto, de acordo com Jesus, precisamos ser nascidos “da água e do Espírito”. “Nascer do Espírito” significa entrar numa nova vida mediante uma mudança de mente e de coração. Por envolver um tipo de experiência completamente novo, e não apenas um aperfeiçoamento do velho estilo de vida, o ato de fazer parte do reino de Deus é denominado novo nascimento. O batismo pela água é um símbolo exterior que retrata a mudança interior. Nosso colaborador na África batizou um prisioneiro como reconhecimento de seu compromisso com Cristo e como símbolo da transformação que o Espírito Santo estava operando em seu caráter.

2. POR QUE EU DEVERIA SER BATIZADO?

Nossa salvação é possível em virtude de três grandes atos de Cristo:

“Cristo MORREU pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, foi SEPULTADO e RESSUSCITOU no terceiro dia, segundo as Escrituras”. I Coríntios 15:3, 4

Cristo possibilitou a nossa salvação mediante a Sua morte, sepultamento e ressurreição.

“Ou vocês não sabem que todos nós, que fomos batizados em Cristo Jesus, fomos BATIZADOS EM SUA MORTE? Portanto, fomos SEPULTADOS COM ELE na morte POR MEIO DO BATISMO, a fim de que, ASSIM COMO CRISTO FOI RESSUSCITADO DOS MORTOS mediante a glória do Pai, TAMBÉM NÓS VIVAMOS UMA VIDA NOVA”. Romanos 6:3, 4

Cristo morreu por nossos pecados, foi sepultado, e então ressurgiu da tumba para nos dar uma nova vida de justiça. Ao sermos batizados, estamos simbolicamente participando de Sua morte, sepultamento e ressurreição. O batismo significa que morremos para o pecado com Cristo, sepultamos nossa vida de pecado com Cristo, e estamos ressurgindo para viver “uma nova vida” em Cristo. A morte e a ressurreição de Jesus se tornam a nossa própria morte e ressurreição. Deus pode fazer com que morramos para o pecado, como se tivéssemos crucificado nossa vida de pecado. Ele pode nos ressuscitar para as coisas do Espírito, como se estivéssemos ressuscitando dos mortos.

clip_image003O ato físico do batismo representa simbolicamente os passos da conversão. Primeiramente, somos mergulhados na água, somos imersos completamente, da mesma forma que uma pessoa que morre é enterrada e coberta com terra. Isso mostra que estamos desejosos de morrer com Cristo e enterrar nosso velho estilo de vida. O batismo é um funeral, uma despedida formal de uma existência na qual o pecado nos dominava. Então, somos erguidos da água pela pessoa que está nos batizando, da mesma forma que uma pessoa é ressuscitada do túmulo. Isso mostra que somos uma “nova criação”, que recebemos a “nova vida” prometida por Deus.

Apenas o batismo por imersão pode demonstrar precisamente o verdadeiro significado do batismo: morte, sepultamento e renascimento. O “batismo por aspersão” não simboliza adequadamente o novo nascimento.

O que realmente significa morrer com Cristo?

“Pois sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com Ele, para que o corpo do pecado seja destruído [‘seja deixado sem poder’, nota da margem], e não mais sejamos escravos do pecado”. Romanos 6:6

O batismo representa exteriormente o que uma pessoa deve fazer interiormente: entregar tudo a Cristo. Se não quisermos fazer isso, e nos apegarmos a qualquer das velhas coisas, continuaremos “escravos do pecado”. Quando nos entregamos totalmente a Cristo, nossos desejos pecaminosos são “deixados sem poder”, e nossa transformação começa.

Quem é responsável pela mudança que ocorre em nossa vida?

“Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas CRISTO VIVE EM MIM. A vida que agora vivo no corpo, VIVO-A PELA FÉ NO FILHO DE DEUS, que me amou e se entregou por mim”. Gálatas 2:20

Quando me identifico com a crucifixão de Cristo através do batismo, dou oportunidade para que uma poderosa força tome conta da minha vida: “Cristo vive em mim”.

A fim de depositar sua vida totalmente nas mãos de Cristo, olhe primeiramente para Cristo morrendo na cruz. Não olhe para o pecado que ameaça você, não olhe para o seu passado e nem reclame; olhe para Jesus. Ao observarmos a maneira corajosa pela qual Cristo morreu no Calvário, conseguimos nos solidarizar com Ele e dizer: “Pelo poder da cruz, afirmo que estou morto para os velhos hábitos e me entrego a Deus. Escolho empunhar a bandeira de Cristo. De agora em diante, ‘vivo pela fé no Filho de Deus que me amou e se entregou por mim’ “.

Ao nos apropriarmos do poder da morte e ressurreição de Cristo, vemos mais e mais que as Suas boas qualidades substituem nossos velhos hábitos:

“Portanto, se alguém está EM CRISTO, é NOVA CRIAÇÃO. As coisas ANTIGAS já passaram; eis que surgiram coisas NOVAS”. 2 Coríntios 5:17

Mediante o batismo, expressamos nosso desejo andar de mãos dadas com Jesus e vivermos uma vida nova e melhor “em Cristo”. Jesus efetua em nós o que nunca poderíamos fazer por nós mesmos. Ressurgimos da água como “nova criação”; Ele nos concede poder e força para termos uma nova vida.

3. POR QUE JESUS FOI BATIZADO?

No Pentecostes, Pedro disse aos que buscavam se libertar da culpa que deveriam arrepender-se e ser batizados “em nome de Jesus Cristo para perdão dos seus pecados” (Atos 2:38). Já que Jesus nunca cometeu um único pecado, por que Ele se permitiu ser batizado?

clip_image004“Então JESUS VEIO da Galiléia AO JORDÃO PARA SER BATIZADO por João… PARA CUMPRIR TODA JUSTIÇA”. Mateus 3:13-15

Jesus era uma pessoa sem pecado. Ele não precisava se arrepender de qualquer pecado. Ele foi batizado por outra razão: “cumprir toda a justiça”. Ao ser batizado, Jesus deixou um exemplo positivo para nós, seres humanos fracos e pecados. Cristo nunca pede a Seus seguidores para irem a algum lugar onde Ele já não tenha ido. Por isso, quando os crentes são imersos na água do batismo, eles estão seguindo os passos do Mestre.

Por ter morrido por nossos pecados, Cristo pode nos dar Sua justiça.

“Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nEle nos tornássemos justiça de Deus”. II Coríntios 5:21

Diante de Deus, somos transformados de pecadores em santos, crescendo com isso na “justiça” e vivendo uma nova vida em Cristo.

4. POR QUE DEVERÍAMOS PASSAR PELA IMERSÃO?

Cristo foi imerso em Seu batismo; não aspergido com água. João O batizou no Rio Jordão “porque havia ali muitas águas” (João 3:23). Quando Jesus foi batizado, Ele desceu até a água e, “assim que Jesus foi batizado [em grego, ‘imerso’], SAIU DA ÁGUA”. (Mateus 3:16).

Quando entendemos o verdadeiro significado do batismo, temos pouca dificuldade em reconhecer e autenticar a forma de batismo. A própria palavra “batizar” vem da palavra grega baptizo, e significa mergulhar ou imergir.

clip_image005Durante a visita de John Wesley à América em 1737, um júri de uma igreja, formado por 34 homens, discutiu com ele sobre a estranha decisão de “se recusar a batizar o filho do Sr. Parker, a não ser por imersão”. É evidente que o pai do metodista batizava seus conversos por imersão.

O reformista João Calvino afirmou: “É certo que a imersão era a prática da igreja primitiva”. Institutes of the Christian Religion, livro 4, cap. 15, seção 19.

A história da igreja primitiva deixa claro que o batismo significa imersão. Dean Stanley, da Igreja da Inglaterra, escreveu: “Pelos primeiro treze séculos, a prática quase universal do batismo era a mesma que lemos no Novo Testamento, e que é o próprio significado da palavra “batismo” – aqueles que eram batizados eram submergidos, imersos, mergulhados na água. Christian Institutions, pág. 21

Os batistérios para imergir os conversos começaram a aparecer em muitas igrejas que foram construídas entre o quarto e o quinto século na Europa e Ásia, igrejas como a Catedral de Pisa, na Itália, e a de S. João, a maior igreja de Roma.

Não foi até o Concílio de Ravenna, no começo do décimo quinto século que a Igreja Católica aceitou a aspersão como equivalente à imersão. Quanto a práticas da igreja, não devemos seguir o que um homem ensina, mas o que Cristo e Seus apóstolos ensinam.

Muitos cristãos sinceros cultivam a tradição do batismo de crianças, e dedicar os filhos a Deus desde que nascem, com certeza é recomendável. A Bíblia, contudo, deixa claro que uma pessoa deve ser ensinada qual o caminho da salvação antes do batismo (Mateus 28:19, 20): a pessoa deve crer em Jesus antes de ser batizada (Atos 8:35-38), e deve se arrepender do pecado e ser perdoada antes de ser batizada (Atos 2:38). Um bebê é incapaz de crer, arrepender-se e confessar seus pecados, que são passos que devem preceder o batismo.

5. POR QUE É IMPORTANTE SER BATIZADO?

De acordo com Jesus, o batismo é essencial para aqueles que desejam entrar no céu:

“Ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito”. João 3:5

Jesus apresenta apenas uma exceção. O ladrão na cruz foi “nascido do Espírito”, mesmo porque era impossível para ele deixar a cruz e ser imerso na água como um sinal de sua mudança de coração. Jesus lhe prometeu que estaria no paraíso (Lucas 23:42, 43). Para o ladrão, ser “nascido da água e do Espírito” representou aceitar o sangue de Jesus que estava sendo derramado para perdão dos seus pecados. Agostinho observou: “Há um caso de arrependimento na hora da morte registrado, o do ladrão arrependido, por isso ninguém deveria se desesperar; mas há apenas um, para ninguém supor que isso é aplicável a todas as situações”.

O próprio Jesus deu essa solene advertência:

clip_image006“Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer [portanto, não for batizado] será condenado”. Marcos 16:16

Ao morrer em nosso lugar no Calvário, Jesus tornou pública aquela demonstração do Seu amor por nós. Precisamos responder a uma confissão pública e sem receios de nosso compromisso com Cristo através do batismo. Você já se iniciou numa vida em Cristo? Você já foi batizado? Se não, por que não se preparar para fazer isso num futuro próximo?

6. O BATISMO É APENAS O COMEÇO

O batismo representa nosso compromisso com um estilo de vida cristão. Mas, nossa entrega pelo batismo não significa que podemos confiar que a transformação dura pelo resto da vida.

Quando uma criança nasce, uma celebração é preparada. Depois que o dia termina e o entusiasmo diminui, o bebê demanda cuidado diário, banhos, e uma constante preocupação por seu bem estar. O mesmo acontece quanto ao batismo. Paulo, falando de sua experiência, disse: “Todos os dias enfrento a morte” (I Coríntios 15:31). Mediante a rejeição diária do egoísmo, nos tornamos mais e mais dispostos a responder ao chamado de Cristo.

O rito do batismo, bem como a cerimônia de casamento, foi planejado para ser uma confirmação formal de que um relacionamento maravilhoso e crescente foi iniciado. A fim de crescer consistentemente, precisamos nos entregar diariamente a Cristo, e diariamente receber uma nova vida mediante a oração e o estudo da Bíblia.

7. UM MOTIVO PARA SE ALEGRAR

clip_image007O batismo é motivo de grande alegria porque aqueles que colocam sua fé em Cristo têm a certeza da vida eterna. “Quem crer e for batizado será salvo” (Marcos 16:16). Quando somos batizados, iniciamos uma caminhada que nos leva para o alto, em direção à felicidade eterna.

O batismo também celebra a felicidade presente em Cristo. Ele promete o dom inestimável do Espírito Santo para aqueles que são batizados (Atos 2:38). Com o Espírito, recebemos também “o fruto do Espírito”, o “amor”, que enche a vida com “alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio” (Gálatas 5:22, 23).

Ter Jesus vivendo em nós através do Seu Espírito Santo nos dá uma profunda certeza. “O próprio Espírito testemunha… que somos filhos de Deus” (Romanos 8:16).

Essa relação segura com Deus nos traz muitos benefícios, mas não nos garante uma vida livre de problemas. Na verdade, o inimigo freqüentemente tenta colocar as maiores dificuldades na vida daqueles que há pouco tempo fizeram seu compromisso com Cristo. Contudo, quando estamos nas mãos de Deus sabemos que Ele usa todas as coisas que acontecem a nós, sejam boas ou ruins, para nos ensinar e nos ajudar a crescer (ver Romanos 8:28).

Uma jovem tomou a decisão de entregar sua vida a Cristo, e ser batizada, apesar da ameaça de seu marido de se divorciar dela caso isso acontecesse. Ele não queria tomar parte na nova fé dela, mas ela ficou firme com Jesus e tentou se tornar uma esposa mais amável do que já havia sido no passado. Por algum tempo, o marido complicou as coisas em casa. Finalmente, ele foi vencido por um argumento que ele não tinha como contrariar: a vida transformada de sua esposa. Esse homem dedicou sua vida a Cristo e também foi batizado.

Apegar-se intimamente a Cristo nos torna instrumentos poderosos em Suas mãos. Podemos dedicar nossa vida a Ele incondicionalmente, pois Ele já fez um compromisso muito maior conosco quando pagou o preço pelos nossos pecados na cruz. Que grande privilégio o de entregarmos publicamente nosso amor e nossa submissão a Deus. Se você ainda não fez isso, escolha dedicar sua vida a Cristo agora mesmo. Peça para Ele criar uma nova vida em você pelo Espírito Santo, e então seja batizado em Cristo.

Lição 18 – Um Estilo de Vida Saudável.

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

Os pesquisadores contemporâneos têm relutado em documentar uma verdade que a Bíblia estabeleceu há muito tempo: os seres humanos são um todo indivisível. O que normalmente dividimos em partes físicas, mentais e espirituais, na verdade são coisas inter-relacionadas e inseparáveis. Em outras palavras, o que afeta a mente, afeta o corpo. Nossa condição espiritual tem efeitos sobre nossa condição física, e vice-versa. Somos seres inteiros e integrados.

clip_image001Por exemplo, os pesquisadores científicos descobriram em estudos controlados que a gargalhada alegre e feliz produz mudanças mensuráveis no sistema imunológico de uma pessoa. Você, na verdade, pode ajudar seu corpo a lutar melhor contra as doenças sendo uma pessoa feliz! Esses estudos mostram o quão relacionado é o trabalho da mente e do corpo.

Milhares de anos atrás, a Palavra de Deus já apontava para essa ligação vital entre a mente e o corpo que só recentemente foi aceita pela teoria médica:

“O coração bem disposto é remédio eficiente, mas o espírito oprimido resseca os ossos”. Provérbios 17:22 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

De acordo com o apóstolo João, quão intimamente é a ligação entre a mente, o corpo e nosso bem estar espiritual?

“Amado, oro para que você TENHA BOA SAÚDE e tudo lhe corra bem, assim como vai bem a sua alma”. III João 2

Nosso Criador deseja que tenhamos “boa saúde”. A Palavra de Deus pode servir como nossa fonte de saúde, bem como nossa fonte de vida eterna.

Já que a saúde física e mental e nosso bem estar espiritual andam juntos, Paulo faz o seguinte apelo:

“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”. I Coríntios 10:31

O evangelho inclui tanto a restauração física quanto espiritual. Um estilo de vida saudável pode nos ajudar a sermos cristãos vibrantes.

Aqui estão oito princípios a serem seguidos se realmente desejamos ter uma vida mais saudável e produtiva:

1. AR PURO

O ar puro e fresco é essencial para uma boa saúde. Durante o dia e enquanto dormimos à noite, uma ventilação apropriada de nosso lar e de nosso local de trabalho assegura que nosso sangue sempre distribua quantidades suficientes de oxigênio para todas as partes do corpo. Respirar profundamente várias vezes durante uma caminha matinal é uma ótima maneira de oxigenar nosso corpo.

O tipo de ar que respiramos obviamente é importante. Tenha cuidado de não se sujeitar a fumaça, gases e bactérias que se espalham pelo ar vindas de alguma fonte escondia. O cigarro polui o ar e é um dos grandes assassinos hoje. A pesquisa científica estabeleceu um relacionamento causal entre o tabaco e o câncer de pulmão, o enfisema e a doença do coração. A dependência do corpo à nicotina de alguns cigarros torna o cigarro um dos hábitos mais difíceis de serem vencidos. O cigarro matará 12 milhões de pessoas por ano até o ano de 2020 se a tendência atual continuar.

2. LUZ SOLAR

clip_image002Os benefícios da luz solar são vários:

“a) 15-30 minutos de exposição diária à luz solar no começo da manhã ou no final da tarde ajuda o corpo a sintetizar ou a criar sua própria vitamina D, um nutriente/hormônio essencial para a pele. A vitamina D ajuda o sangue a produzir cálcio e fósforo, que fortalecem e reparam a massa óssea.

b) A luz do sol funciona como desinfetante e um assassino de bactérias.

c) O sol supre a energia com a qual o reino vegetal pode converter dióxido de carbono e água em carboidratos… Sem esse processo, os animais e os seres humanos morreriam de fome.

d) A luz solar também ajuda uma pessoa a se ajustar a um trabalho noturno a alivia a depressão relacionada a dias mais escuros, característicos do inverno.

Cuidado: A luz do sol também pode ser prejudicial. Uma exposição muito prolongada pode queimar a pele, aumentar o risco de câncer de pele, acelerar o processo de envelhecimento, danificar os olhos e causar cataratas”. [Todas as citações dessa Lição são do Look Up and Live: A Guide to Health, Adult Lessons, First Quarter 1993 (Nampa, Idaho: Pacific Press Publishing Association). Muito do material dessa lição que não está entre aspas, é condensado desse mesmo material].

3. DESCANSO

O corpo precisa de descanso a fim de se recuperar. Precisamos ter tempo para nos recrearmos e descansarmos das tensões do trabalho e das responsabilidades familiares. Sem essa dosagem necessária de descanso, as pessoas freqüentemente experimentam sentimentos de ansiedade, depressão e irritabilidade. Tal estresse emocional pode levar a doenças, e com isso nos forçar a dar um tempo muito maior de descanso ao corpo, a fim de recuperar o tempo perdido. A verdade é simplesmente essa: não há substituto para uma boa noite de sono.

Recarregar nossas baterias espirituais diariamente também é importante para nossa saúde física. Meditação, estudo da Bíblia e oração diariamente curam o corpo da mesma maneira que a alma. Outras coisas de que precisamos são: uma parada regular do ciclo de trabalhos, um dia de descanso semanal e férias uma ou duas vezes por ano.

4. EXERCÍCIO

O exercício é vital para nossa saúde:

“a) O exercício ajuda a normalizar a pressão sangüínea.

clip_image003b) O exercício permite que mais sangue alcance as partes mais distantes do corpo, mantendo as extremidades aquecidas.

c) O exercício libera tanto a tensão física quanto a emocional, e com isso ajuda você a se sentir melhor com a vida. O exercício normalmente é a melhor cura para as preocupações e estresses.

d) O exercício proporciona energia elétrica para o cérebro e as células nervosas. Ele promove a saúde ao estimular o sistema imunológico. Quando o corpo é mantido saudável mediante exercícios apropriados, a mente funciona mais criativa e eficientemente.

e) Ele pode ajudar sua compleição física e mantê-lo vistoso.

f) O exercício nos dá mais energia, e assim retarda tanto a fadiga física quanto a emocional.

g) Ele ajuda na produção cerebral de um químico que faz com que você tenha um sentimento de bem-estar e aumenta sua tolerância à dor”.

Se você não se exercitado regularmente, comece num ritmo tranqüilo e aumente gradualmente à medida que for ganhando resistência. Pode ser uma idéia melhor procurar seu médico antes de começar. Seu objetivo deveria ser o de se engajar em qualquer tipo de exercício que seja compatível a andar 1,5 quilômetros em 15 minutos quatro ou mais vezes por semana.

5. ÁGUA

clip_image004Por ser essencial a cada célula do corpo, deveríamos beber muita água.

“a) Por ter o seu peso constituído de aproximadamente 70 por cento de água…
b) O corpo precisa de cerca de dois litros de água por dia para efetuar todas as suas funções. Algumas dessas funções incluem a circulação sangüínea, a excreção, o transporte de nutrientes e a digestão.

c) Uma pessoa possui, em média, entre 15 a 40 bilhões de células cerebrais. Cada uma delas é constituída de aproximadamente 70-85 por cento de água. Uma quantidade suficiente de água para suprir essas células mantém você mentalmente alerta e ajuda a prevenir a depressão e a irritabilidade.

d) Não é apenas a água que você ingere que é importante. Um banho frio ou morno diário melhora a circulação, ajudando assim a aumentar a energia do corpo e da mente. Um banho pode também aliviar a tensão nervosa, que é a causa de muitas doenças, pois enfraquecem o sistema imunológico. Tomar banho também remove as impurezas da pele e pode reduzir a febre.”

6. ALIMENTAÇÃO APROPRIADA

clip_image005Na criação, Deus instruiu Adão e Eva a se alimentarem de plantas, grãos e frutas (Gênesis 1:29). Depois que Adão e Eva pecaram, os vegetais foram adicionados à dieta deles (Gênesis 3:18). Depois do dilúvio, o Criador acrescentou a carne “limpa” de alguns animais à dieta alimentar dos seres humanos (Gênesis 7:2, 3; 9:1-6).

A carne de animais contém tanto as gorduras saturadas quanto o colesterol, que aumentam o risco de hipertensão, enfarto, ataque cardíaco, câncer, obesidade, diabetes, e outras doenças. Nos dias atuais, muitos médicos alertam aqueles que comem carne a incluírem em suas dietas apenas as carnes limpas e bem cozidas, bem como de peixe, e ainda assim, comê-las esporadicamente.

Por perceberem que as pessoas que se alimentam de uma dieta vegetariana são mais saudáveis e vivem por mais tempo, muitos especialistas em nutrição e saúde afirmam que seria bom voltarmos à dieta original da humanidade, formada por plantas, grãos e frutas, com o acréscimo de vegetais.

Se você pretende começar uma alimentação totalmente vegetariana, certifique-se antes de entender como proporcionar uma dieta balanceada com todos os nutritivos e sem carne. Coma cinco ou seis porções por dia de uma grande variedade de frutas, plantas, grãos, legumes e vegetais. Os vegetais verdes e amarelos, juntamente com as frutas cítricas, são especialmente importantes. Use farinha de trigo integral, e use arroz integral ao invés de arroz branco.

Sua ingestão de amido e complexos vitamínicos deveria se constituir de seis ou mais porções por dia. Substitua sua ingestão de gorduras animais (manteiga, creme, requeijão, margarina, etc.) por gorduras vegetais. A dieta acima é adequada se você não come carne, mas usa produtos derivados do leite.

Aqueles que escolhem ter carne em sua alimentação deveriam comer apenas aquelas que a Bíblia indica como “limpas” ou apropriadas para o consumo humano. Quando Deus deu permissão para as pessoas comerem carne, depois do dilúvio (Gênesis 7:2, 3; Levítico 11:47), Ele definiu quais carnes eram limpas e quais eram imundas e não apropriadas para serem comidas.

Leia em Levítico 11 e Deuteronômio 14 a lista de pássaros, animais e peixes que Deus denominou impróprios de serem comidos. De acordo com esses capítulos, os animais limpos devem ter unha fendida e devem ruminar. Os peixes limpos devem ter tanto escamas quanto barbatanas. As aves de rapina também são proibidas.

Dentre os animais impuros, os suínos em especial são mencionados e condenados (Deuteronômio 14:8). Uma grande porcentagem de corpos humanos que foram autopsiados estava infectada com a triquina. Essas pequenas larvas são transmitidas aos seres humanos pela ingestão da carne de porco. Pesquisas científicas atuais revelam cada vez mais o porquê de Deus ter declarado alguns tipos de carne imundos. Uma dessas razões pode ser o perigo de doenças, tais como o verme da triquina, que é encontrado no porco. Outra razão pode ser os efeitos devastadores da gordura saturada ao sistema digestivo humano.

7. EVITAR SUBSTÂNCIAS PREJUDICIAIS

clip_image006Que conselhos a Bíblia nos dá sobre bebidas alcoólicas?

“O vinho é zombador, e a bebida fermentada provoca brigas; não é sábio deixar-se dominar por eles”. Provérbios 20:1

“Nem ladrões, nem avarentos, nem ALCOÓLATRAS, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus”. I Coríntios 6:10

O álcool afeta os seguintes sistemas do corpo:

“a) O sistema imunológico – o álcool diminui a habilidade dos leucócitos de lutar contra as doenças, aumentando com isso o risco de pneumonias, tuberculoses, hepatites, e vários tipos de câncer.

b) O sistema endócrino – apenas duas ou três doses de bebida alcoólica por dia aumenta o risco de abortos espontâneos, morte prematura e nascimentos prematuros.

c) O sistema circulatório – o uso de álcool aumenta o risco de doença das coronárias do coração, reduz o açúcar no sangue e eleva a pressão sangüínea, causando a hipertensão.

d) O sistema digestivo – O álcool irrita o estômago, causando assim um sangramento gástrico… O uso habitual do álcool aumenta o risco de problemas no rim, de hepatite, e de cirrose do fígado”.

O álcool é responsável por um grande número de suicídios, mortes em acidentes de automóveis, casos de abuso infantil e violência familiar.

8. CONFIANÇA NO PODER DIVINO

Uma pessoa perseguida por medo ou culpa terá dificuldades em se beneficiar completamente dessas práticas saudáveis que acabamos de descrever. Por outro lado, uma pessoa que desfruta de uma fé ativa em Deus irá experimentar a maior fonte de bem estar:

clip_image007“Bendiga o Senhor a minha alma! Não esqueça nenhuma das Suas bênçãos! É Ele que perdoa todos os seus pecados e CURA TODAS AS SUAS DOENÇAS, que RESGATA A SUA VIDA da sepultura”. Salmo 103:2-4

David Larson, um consultor do Instituto de Saúde Mental do Estados Unidos, fez uma extensa pesquisa sobre a relação entre religião e saúde. Seu estudo demonstrou uma ligação direta entre um cristão praticante e a saúde. Ele se surpreendeu ao descobrir que aqueles que freqüentam a igreja vivem mais tempo que os que não freqüentam. Os freqüentadores de igreja têm um número menor de incidência de ataque do coração, endurecimento das artérias, pressão alta, e outras doenças. Aqueles que têm fé em Deus vivem produzindo mais porque têm menos tendência a ficarem depressivos, a se tornarem alcoólatras, a serem presos por desacato, ou a se envolverem num casamento infeliz. Confiança no poder divino é a base para um bem estar genuíno e uma vida saudável e feliz.

Aproximadamente 50.000 adventistas do sétimo dia foram estudados, primariamente na Califórnia, EUA, durante 30 anos. Os resultados mostraram que os homens adventistas vivem 8,9 anos a mais e a as mulheres 7,5 anos a mais que a média da população em geral. Estudos feitos em Adventistas na Holanda, Noruega e Polônia apresentaram resultados parecidos. Os pesquisadores atribuem uma expectativa de vida maior dos adventistas devido ao costume que eles têm de seguir alguns ou todos os oito princípios de saúde esboçados nessa lição. Aqueles que seguem esses princípios não apenas têm uma vida mais longa, mas também vivem qualitativamente melhor.
Aplicar a perspectiva bíblica à nossa vida faz diferença em tudo, oferecendo com isso evidência convincente de que o cristianismo é a religião mais prática e razoável de todo o mundo. Ela muda as pessoas – seu modo de pensar e de agir – e cria um novo estilo de vida.

Em virtude da íntima relação entre mente, corpo e vida espiritual, os cristãos que vivem pela Palavra de Deus desejarão seguir os princípios de um estilo de vida saudável enquanto se preparam para a segunda vinda de Jesus (I João 3:1-3). Cristo não deseja apenas que estejamos prontos para encontrá-lO quando Ele vier, mas também deseja melhorar a qualidade de nossas vidas no presente. Podemos cooperar com Ele ao seguir os princípios básicos de saúde de Deus.

Jesus promete nos libertar de todo hábito prejudicial pelo Seu “poder que atua em nós” (Efésios 3:20). Se você está tentando superar algum hábito prejudicial à sua saúde, tal como o uso do tabaco ou de bebidas alcoólicas, suas melhores resoluções para deixar isso de lado freqüentemente se transformam em promessas não cumpridas. Mas, ao nos apropriarmos do poder de Deus que “atua em” nós, Deus nos dará forças para superar qualquer coisa. A Palavra de Deus promete: “Tudo posso nAquele que me fortalece” (Filipenses 4:13).

Lição 17 – Testemunhar para Crescer.

janeiro 25, 2008 - Leave a Response

Larry estava usufruindo uma ótima conversa, um chá japonês e biscoitos de arroz na casa do Sr. Komori quando notou que os outros convidados pegavam suas Bíblias. Todos olharam para ele com expectativa. “Será que você poderia nos dar um estudo bíblico agora, por favor?”, perguntou o Sr. Komori.

Larry ficou paralisado por alguns segundos. Ele pensava que essa reunião fosse apenas para entretenimento. Agora, ele não conseguia pensar em nada para dizer.

clip_image001Larry já tinha sido instrutor de várias classes bíblicas numa escola de inglês cristã no Japão, onde trabalhava, mas todas elas tinham sido bem planejadas. Ele poderia achar todas as informações naquelas aulas com a maior facilidade. Contudo, falar sobre Deus sem esboço e preparo era bem diferente.

Larry tinha ouvido todas as histórias bíblicas desde pequeno. Agora, no entanto, pareciam não conseguir prover apoio e suporte para sua necessidade. Ele andava fazendo coisas que sabia serem erradas aos olhos de Deus. Como poderia falar aos outros sobre um Deus que ele mesmo não conhecia realmente?

Sentado no sofá, rodeado por pessoas expectantes, ele estava a ponto de entrar em colapso. Naquele momento de medo, surgiu em sua mente um verso que dizia que o Espírito Santo nos dá as palavras que devemos dizer quando estiamos diante de oportunidades para testemunhar aos outros (Lucas 12:12). Ele murmurou uma oração desesperada por ajuda e apelou para a história que mais conhecia: o Filho Pródigo.

Enquanto descrevia o quanto Deus ama aqueles que estão longe dEle, Larry percebeu que falava aquilo de coração. Suas palavras estavam fazendo efeito nele mesmo. Pela primeira vez em sua vida, Larry percebeu o quanto Deus o amava.

Naquela noite, Larry se ajoelhou ao lado de sua cama e entregou sua vida a Deus. Pela primeira vez tinha percebido a realidade do evangelho em sua vida. Partilhar o amor de Deus tinha feito muito mais por ele do que apenas partilhar um conhecimento teológico. Aquilo agora era um fato que o fazia transbordar de alegria.

1. JESUS NOS DESAFIA A CRESCER MEDIANTE O TESTEMUNHO

Os discípulos tinham estado durante três anos e meio ouvindo as palavras e vendo as ações de Cristo, inclusive Sua morte e ressurreição. Quando Jesus estava para retornar ao céu, Ele comissionou os discípulos a serem Seus representantes aqui na terra:

“Mas RECEBERÃO PODER quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e SERÃO MINHAS TESTEMUNHAS… até os confins da terra”. Atos 1:8 (A não ser quando indicado, todos os textos bíblicos da série DESCOBERTAS BÍBLICAS são da Nova Versão Internacional da Bíblia [NVI].).

Quando os seguidores de Cristo entregaram-se sem reservas a Ele no Pentecostes, o Cristo ressurrecto transformou suas vidas pelo poder do Espírito. Eles se tornaram testemunhas, não apenas da ressurreição e ascensão corporal de Jesus, mas também do poder da Sua ressurreição que tinha transformado as suas vidas.

Como cristãos, nós também precisamos testemunhar sobre a ressurreição de Jesus em virtude de termos experimentado Seu poder renovador em nossas próprias vidas.

“Todavia Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, DEU-NOS VIDA COM CRISTO, QUANDO AINDA ESTÁVAMOS MORTOS EM TRANSGRESSÕES – pela graça vocês são salvos. DEUS NOS RESSUSCITOU COM CRISTO… PARA MOSTRAR… A INCOMPARÁVEL RIQUEZA DE SUA GRAÇA, demonstrada em Sua bondade para conosco”. Efésios 2:4-7

clip_image002Recebemos vida em Cristo, por isso somos aptos a “mostrar a incomparável riqueza de Sua graça”. Ele nos pede para levar as boas novas do que Ele fez quando esteve aqui na terra para todo o mundo, e promete nos acompanhar (Mateus 28:19, 20).

H.M.S. Richards, o fundador do ministério radiofônico da Voz da Profecia, testificou certa vez: “Tenho visto a mudança nos corações das pessoas que ouvem o evangelho de Cristo. Tenho viajado por muitos lugares onde o nome de Deus e de Cristo nunca antes havia sido apresentado, até que Sua igreja pregasse o evangelho ali. Tenho visto as pessoas serem transformadas da imundície para a pureza, da doença para a saúde, do medo constante de espíritos maus para a alegria da vida cristã. Tenho visto a mudança na posição da mulher nesses locais. Tenho visto verdadeiros lares cristãos emergirem de densas trevas pagãs. Em cada lugar que tenho visitado, tenho visto as vidas sendo transformadas. Eu sei que o “evangelho… é o poder de Deus para a salvação” (Romanos 1:16). Sei que quando a igreja proclama a mensagem do evangelho, as mudanças ocorrem nos corações e lares humanos, e elas são visíveis na vida daqueles que respondem ao seu apelo”.

Deus tem nos dado, nós que somos seres humanos fracos, um papel importante a desempenhar nessa obra maravilhosa. A razão é que o testemunho é uma parte vital do nosso crescimento pessoal. A fim de manter nossa fé saudável, ela precisa ser expressa. Como Larry descobriu de forma tão dramática, testemunhar da nossa fé nos ajuda a vivenciá-la mais completamente, e nos faz crescer.

2. PARTILHAMOS CRISTO PELA MANEIRA PELA QUAL VIVEMOS

clip_image003Um jovem que havia crescido num lar onde freqüentemente sofria abusos certa vez comentou: “Usando como exemplo os meus pais, criei em minha mente uma imagem distorcida de Deus; eu nunca tinha tido o exemplo de alguém visível que me amasse”. As pessoas ao nosso redor precisam desesperadamente de alguém eu lhes dê uma imagem correta de quem é Deus. Elas precisam de alguém “visível” que lhes mostre as boas qualidades. Nosso sermão mais poderoso freqüentemente é pregado pela maneira pela qual vivemos. Antes que a pessoa saiba o quanto você sabe, ela precisa saber o quanto você se importa. Pedro nos diz:

“VIVAM entre os pagãos [não cristãos] de MANEIRA EXEMPLAR para que… OBSERVEM AS BOAS OBRAS QUE VOCÊS PRATICAM E GLORIFIQUEM A DEUS… pois, também, CRISTO SOFREU NO LUGAR DE VOCÊS, DEIXANDO-LHES EXEMPLO, PARA QUE SIGAM OS SEUS PASSOS”. I Pedro 2:12, 21

“Cristo sofreu” no Calvário por nós, e assim nos deu o exemplo muito claro do que é amor altruísta. Esse amor, reproduzido em nós pelos atos de amor para com os outros, pode se tornar uma poderosa força para levar os não crentes aos pés de Cristo.

3. TESTEMUNHAMOS DE CRISTO PORQUE PENSAMOS SOBRE ISSO

Quando o Diabo tentou a Jesus no deserto com seus apelos com respeito ao apetite, ao orgulho e à presunção, Jesus foi bem sucedido nas respostas porque citava as Escrituras (Mateus 4:4, 7, 10). Cristo estava preparado porque tinha abastecido Sua mente com verdades bíblicas. Nossa mente é o verdadeiro campo de batalha onde as lutas são vencidas ou perdidas.

“Porque, como imagina em sua alma, assim ele é” Provérbios 23:7, Versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição.

Os cristãos que estão crescendo na fé vêem os outros da maneira que o céu os vê: concentrando-se sempre nas boas qualidades que estão buscando desenvolver.

“Alegrem-se sempre no Senhor… em tudo, pela ORAÇÃO e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, GUARDARÁ O CORAÇÃO E A MENTE DE VOCÊS em Cristo Jesus. Finalmente, irmãos, tudo o que for VERDADEIRO, tudo o que for NOBRE, tudo o que for CORRETO, tudo o que for PURO, tudo o que for AMÁVEL, tudo o que for de BOA FAMA, se houver algo de EXCELENTE ou DIGNO DE LOUVOR, pensem nessas coisas… E o Deus da paz estará com vocês”. Filipenses 4:4-9

As coisas com que alimentamos nossa mente fazem diferença em nossa vida. Se colocarmos lixo, sairá lixo. Se alimentarmos nossa mente com a Palavra de Deus, uma vida de semelhante a de Jesus será o resultado.

4. TESTEMUNHAMOS DE CRISTO PELA NOSSA APARÊNCIA

clip_image004Como representante de Cristo, o cristão deve ser modesto até mesmo sobre a maneira que ele ou ela se apresentam, evitando todos os tipos de extremos.

“Se ele não obedece à palavra, seja ganho sem palavras… observando a conduta honesta e respeitosa de vocês. A beleza de vocês não deve estar nos enfeites exteriores, como cabelos trançados e jóias de ouro ou roupas finas. Ao contrário, esteja no seu interior, que não perece, BELEZA DEMONSTRADA NUM ESPÍRITO DÓCIL E TRANQÜILO, o que é de grande valor para Deus. Pois era assim que também costumavam adornar-se… colocavam sua esperança em Deus”. I Pedro 3:1-5.

A simplicidade no vestuário e nos adornos sempre foi uma marca genuína da vida semelhante à de Cristo. Idealmente, os outros deveriam ser atraídos a nós, cristãos, não por nos destacarmos na maneira de vestir, mas pelo destaque que Jesus faz em nossa vida.

5. TESTEMUNHAMOS DE CRISTO PELA MANEIRA QUE AGIMOS

O historiador Edward Gibbon nos diz que quando Galério saqueou o campo do exército persa, uma brilhante bolsa de couro cheia de pérolas caiu nas mãos de um dos saqueadores. O homem cuidadosamente preservou aquela bela bolsa, mas jogou fora as preciosas pérolas.

Pessoas que percorrem os caminhos superficiais que o mundo oferece, enquanto rejeitam a Jesus, a Pérola de Grande Preço, estão agindo pior do que aquele saqueador. Não é apenas uma fortuna que pode escorregar de nossas mãos, é a salvação eterna. Por isso, as Escrituras nos alertam:

“Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo – cobiça da carne [apetite], cobiça dos olhos [amor às coisas do mundo] e a ostentação de bens [orgulho] – não provém do Pai, mas do mundo. O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”. I João 2:15-17

clip_image005Satanás trabalha muito para tornar atrativo aos santos de Deus os pecados mais destrutivos e os piores hábitos. Os anúncios publicitários para bebidas alcoólicas mostram apenas pessoas jovens, bonitas, bem sucedidas e intensamente felizes. Nunca vemos alguém que lembra uma figura patética vomitando num saco de papel depois de ter tomado várias doses de cerveja.

Temos de ter cuidado com as associações que comprometem nossos princípios cristãos (II Coríntios 6:14). Cristo deseja, claro, que sempre nos interessemos e nos envolvamos com amigos não cristãos. Os relacionamentos interpessoais são os principais meios pelos quais a fé é partilhada. Só que você precisa ter certeza de que esses envolvimentos não estão levando você de volta ao seu velho estilo de vida.

Com o que entramos em contacto em nossa vida, até mesmo o tipo de entretenimento que escolhemos, impacta nossa vida espiritual. Precisamos estar conscientes de que estamos alimentando nossa mente.

“Não porei coisa injusta diante dos meus olhos”. Salmo 101:3, Versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição.

Se alimentarmos nossa mente com o melhor, o pior não vai ser capaz de rebaixar nossa conduta e nossos padrões. Prezar sempre pelos princípios mais elevados ao escolher o que deixamos entrar em nossos lares e em nossas mentes não rebaixam nossa vida. O cristão tem mais coisa com que se alegrar do que as outras pessoas.

“TU ME FARÁS CONHECER… A ALEGRIA PLENA da Tua presença, eterno prazer à tua direita”. Salmos 16:11

6. TESTEMUNHAMOS DE CRISTO PELA NOSSA LIBERALIDADE

clip_image006O Pastor H.M.S. Richards conta que certa vez, quando ia batizar um novo crente, ele percebeu que o homem tinha uma bolsa de moedas bem cheias em seu bolso. O pastor perguntou se ele havia se esquecido de deixar o dinheiro no quarto onde trocara de roupa. “Minha carteira e eu seremos batizados juntos”, explicou o homem. Ele havia entendido o verdadeiro espírito do cristianismo – dar para ajudar aos outros. Os cristãos crescem quando são liberais e ajudam os outros. É por isso que o próprio Jesus disse: “Há maior felicidade em dar do que em receber” (Atos 20:35).

O que damos a fim de fazer avançar o reino de Deus retorna em valor eterno.

“Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas ACUMULEM PARA VOCÊS TESOUROS NOS CÉUS… Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração”. Mateus 6:19-21

Ao dar, lembre-se que “do Senhor é a terra e tudo o que nela existe” (Salmo 24:1), incluindo o ouro e a prata (Ageu 2:8). Nós mesmos pertencemos a Deus, pois Ele nos criou e nos resgatou dos nossos pecados pagando o preço pelos nossos pecados com Seu sangue (I Coríntios 6:19, 20). Tudo o que temos pertence a Deus, pois é Ele que nos dá a “capacidade de produzir riqueza” (Deuteronômio 8:18).

Quanto o nosso Senhor crucificado e ressurrecto nos pede para devolvermos a Ele, a fim de que o evangelho seja pregado aos outros?

“Pode um homem roubar a Deus? Contudo vocês estão me roubando. E ainda perguntam ‘Como é que te roubamos?’. NOS DÍZIMOS E NAS OFERTAS… Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova,’ diz o Senhor dos Exércitos, ‘e vejam se não VOU ABRIR AS PORTAS DOS CÉUS E DERRAMAR SOBRE VOCÊS TANTAS BÊNÇÃOS QUE NEM TERÃO ONDE GUARDÁ-LAS'”. Malaquias 3:8-10

clip_image007O dízimo é a “décima” parte de nossos ganhos (Deuteronômio 14:22 [Versão Nova Tradução na Linguagem de Hoje] e Gênesis 28:22). Para o fazendeiro ou o comerciante, o ganho é o que sobra depois de subtrair as despesas do negócio. Para o empregado, é uma parte do ganho total. O princípio de dizimar é um princípio moral porque envolve caráter. Quando falhamos no dízimo, roubamos a Deus. O dízimo pertence a Deus e deve ser usado exclusivamente para apoiar o ministério de Cristo (I Coríntios 9:14), e para terminar Seu trabalho aqui na terra, a fim de que Ele possa retornar (Mateus 24:14).

Quando Jesus veio para viver entre nós, Ele aprovou o sistema de dízimos em vigor nos tempos do Novo Testamento. (Mateus 23:23).

E nós, quanto deveríamos dar de ofertas? As ofertas são de acordo com a decisão individual. Cada pessoa deve dar o que se propor em seu coração. (II Coríntios 9:5-7). Você nunca vai conseguir superar o que Deus lhe dá:

“Dêem e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês”. Lucas 6:38

H.M.S. Richards certa vez relatou a seguinte experiência:

“Um apostador de longa data freqüentou uma de nossas reuniões evangelísticas em Los Angeles. Nunca me esquecerei da conversa que tive a sós com ele, nos fundos do auditório. Ele pegou um bolo de notas de seu bolso, 500 dólares, e os deu para mim, dizendo: ‘Esse é o primeiro dízimo que eu dou’.

O homem não estava bem financeiramente, e não tinha nada a não ser uma vida de 30 ou 40 anos de apostas, pois isso eu disse: ‘Com o que você vai viver?’

Ele respondeu: ‘Me sobraram apenas cinco ou seis dólares, mas essa outra quantia pertence a Deus’.

Então perguntei: ‘O que você vai fazer?’

‘Eu não sei’, disse ele, ‘mas sei que devo dar o meu dízimo a Deus, e Ele cuidará de mim’.

Foi isso exatamente o que Deus fez. O arrependimento do homem foi sincero. Ele continuou fiel à sua decisão e viveu feliz dentro dos princípios cristãos. Deus cuidou dele até o dia de sua morte”. Deus não promete que todos os crentes fiéis ficarão ricos. No entanto, temos a certeza de que nosso Criador nos dará forças para suportar tudo o que nos acontecer nessa vida.

Cristo nos deu tudo, e nos pede apenas que entreguemos nosso coração completamente a Ele. Fazendo isso, poderemos testemunhar pela maneira pela qual vivemos, agimos e somos liberais para com os outros. Por que não descobrir agora mesmo a alegria de testemunhar sobre Cristo para os outros e assim crescer em Sua maravilhosa graça?